Feminismo e religião: uma análise das feministas evangélicas na rede social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25067/s.v2i23.24049

Resumo

O presente artigo pretende debater, através do caso das feministas evangélicas, o papel que a internet vem assumindo como canal condutor (e difusor) de lutas sociais, particularmente o feminismo. Diversos grupos minoritários que lutam por reconhecimento social vêm se apropriando deste espaço e criando novas dinâmicas de mobilização e luta a partir destas ferramentas de comunicação. Segundo a literatura pesquisada, o Facebook é a rede social mais utilizada quando o objetivo é a de mobilização social. Por isso escolhemos nos debruçar sobre um grupo e duas páginas de mulheres no Facebook que afirmam ser cristãs/evangélicas e também feministas justamente pelo antagonismo que essa dupla pertença aparenta ter e pelos possíveis grupos de interesse que as temáticas despertam na rede. Desse modo, buscamos destacar alguns elementos particulares a este segmento estudado e outros comuns a grupos políticos que vem se utilizando do ativismo digital.

Palavras-chave: Gênero, Religião, Rede Social, Ativismo Digital.

Feminism and religion: an analysis of evangelical feminists on the social network

ABSTRACT

This article aims to discuss, through the case of evangelical feminists, the role that the internet has been assuming as the conduit (and diffuser) of social struggles, particularly feminism. Several minority groups fighting for social recognition have appropriated this space and created new dynamics of mobilization and struggle from these communication tools. According to the researched literature, Facebook is the most used social network when the goal is social mobilization. That's why we chose to focus on a group and two pages of women on Facebook who claim to be Christian / evangelical and also feminist precisely because of the antagonism that this double belonging seems to have and the possible interest groups that the themes arouse in the network. In this way, we seek to highlight some elements particular to this segment studied and others common to political groups that are using digital activism.

Keywords: Gender, Religion, Social Networking, Digital Activism.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALLESTRIN, Luciana Maria de Aragão. Feminismos Subalternos. Estudos Feministas, Florianópolis, 25(3): 530, setembro-dezembro/2017.

BECKER, Howard S. Segredos e truques de pesquisa. Rio de Janeiro: Zahah, 2007.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. 1. Ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.
_________. A sociedade em rede. Ed. São Paulo: Paz e terra, 1999.

SILVA, Julia do Carmo. Feministas por opção, católicas pelo direito de decidir: agentes na igreja católica. Dissertação de mestrado, Santa Maria, RS, Brasil, 2015.

LÉVY, Pierre. Cibercultura São Paulo: 34 LTDA, 1999.

MIAN, Mariella Batarra et al. O ciberativismo potencializado via memes: uma análise da articulação de pautas políticas e sociais nas redes. Universidade Federal do ABC, Santo André, SP. 2017.

MISKOLCI, Richard. Sociologia Digital: notas sobre pesquisa na era da conectividade. In.: Revista contemporânea, vol. 6 n,2 p.275-297 jul. - dez.2016.

NASCIMENTO, Beatriz et al. Reféns da fé: mulheres evangélicas sofrem mais violência?. Casa Flutuante, 2017.

POLLAK, Michael. 1989. Memória, esquecimento e silêncio. In: Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol.2, nº 3, CPDOC, p. 3-15.

ROESE, Anete. Religião e feminismo descolonial: os protagonismos e novos agenciamentos religiosos das mulheres no século XXI. Horizonte, Belo Horizonte, v. 13, n.39, p.1534-1558, jul/set. 2015.
__________ O impacto do feminismo sobre o estudo das religiões. Cadernos Pagu (16) 2001: pp. 79-96.

ROSADO-NUNES, Maria José. Feminismo, gênero e religião – os desafios de um encontro possível. Estudos da Religião, v. 31, n.2. 65-76, maio-ago, 2017.

ROSSINI, Patrícia Gonçalves da Conceição. Da rede para as ruas: mídias sociais como novas “armas” na luta por reconhecimento? . C&S – São Bernardo do Campo, v.36, n. 1, p. 301-325, jul/dez. 2014.

SOUZA, Sandra Duarte de. Gênero e religião nos estudos feministas. Estudos feministas, Florianópolis, 12;9 N.E.: 264, set-dez, 2004.

TOSTES, Angelica. Marginais dentro do centro: os evangélicos e o movimento social. 2018. Disponível em: https://angeliquisses.wordpress.com/2018/03/29/marginais-dentro-do-centro-os-evangelicos-e-o-movimento-social/ <<Acessado em 29 de março de 2018>>

WOODHEAD, Linda. Mulheres e gênero: uma estrutura teórica. Estudos da Religião, n.1, 2002, p. 1-11.

Notícia sobre o grupo do facebook Feministas Cristãs.
Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07/150729_salasocial_evangelicas_feministas_cc <<acesso em: 20, dezembro, 2017>>

Downloads

Publicado

2020-03-18

Edição

Seção

DOSSIÊ