Das utopias globais, ruídos e recomposições: uma conversa sobre práticas de leitura e movimentos sociais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25067/s.v2i23.29033

Resumo

Pelo menos desde o Iluminismo a leitura ocupa um lugar nodal nos projetos emancipatórios abrigados dentro das tradições de esquerda. Mas, ao calor da revolução digital das últimas duas décadas, este espaço privilegiado experimentou profundas transformações sobre as quais talvez ainda não se tenha refletido o suficiente. Neste diálogo, Amador Fernández-Savater, Franco Ingrassia e Rodrigo Nunes, todos eles nascidos nos anos 70 e envolvidos ativamente em movimentos sociais das últimas duas décadas, destrincham alguns aspectos relativos às mudanças recentes nas relações entre as esquerdas, as redes sociais e as práticas de leitura. Desde suas cidades de residência no momento da entrevista –– Madrid, Rosário e Porto Alegre/Londres/Rio de Janeiro, respectivamente ––, mas em conexão com muitos outros lugares do mundo, os três participantes desta conversa têm estado desde os anos 90 envolvidos em numerosos espaços e iniciativas vinculadas ao ir e vir entre pensamento e movimentos sociais.

Palavras-chave: ciberativismo; esquerdas; práticas de leitura; redes sociais

From global utopias, noise and recomposition: a conversation about reading practices and social movements

ABSTRACT

At least since the Enlightenment, reading stands on a nodal place in the emancipatory projects sheltered within leftist traditions. However, in the heat of the last two decades digital revolution, this privileged space has experienced deep transformations that may not yet have been sufficiently considered. In this dialog, Amador Fernández-Savater, Franco Ingrassia and Rodrigo Nunes, all of them were born in the 70’s and have been actively involved in the last two decades social movements, unravel some aspects of recent changes in left-wing relations, social networks and reading practices. From their home cities by the time of this interview – Madrid, Rosario and Porto Alegre/London/Rio de Janeiro, respectively –, but in connection with many other places in the world, the three participants of this conversation have been since the 90’s involved in many places and initiatives linked to the coming and going between thought and social movements.

Key-words: Ciberactivism, Left-wing, Reading practices, Social networks.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Edgar R. Resende, Universidade Vila Velha

Doutor em Ciência Política pela Universidade Autônoma de Barcelona, realiza estágio pós-doutoral na PUC/SP e está como professor do Programa de pós-graduação em Sociologia Política da Universidade Vila Velha.

Rodrigo Nunes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Doutor em Filosofia pela Universidade de Londres. Professor de filosofia na PUC/Rio e autor do livro Organisation of the Organisationless: Collective Action After Networks (Mute, Londres, 2014). Participou ativamente da organização das primeiras edições do Fórum Social Mundial, de campanhas de organização sindical e imigrante em Londres, e foi um dos editores da revista Turbulence

Amador Fernández-Savater

Editor da Aquarela Livros, dirigiu durante anos a revista Archipiélago e participou ativamente em diferentes movimentos coletivos e de base em Madri. É autor de Filosofia e Ação (Editorial Limite, 1999), coautor de Red Ciudadana tras el 11-M; cuando el sufrimiento no impide pensar ni actuar (Acuarela Livros, 2008).

Franco Ingrassia

Fundador do coletivo cultural Planeta/x, atualmente forma parte da Universidad del Hacer, um dos projetos da organização política Ciudad Futura, de Rosário, Argentina.

Martín Bergel, Universidade Nacional de San Martín

Doutor em História pela Universidade de Buenos Aires e Professor de História da América Latina Contemporânea na Universidade Nacional de San Martín. Pesquisador adjunto do CONICET e do Centro de História Intelectual da Universidade de Quilmes, Argentina.

Downloads

Publicado

2020-03-19

Edição

Seção

DOSSIÊ