O combate à “ideologia de Gênero” na era da pós-verdade: uma cibercartografia das fake news difundidas nas mídias digitais brasileiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25067/s.v2i23.29044

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar os desdobramentos daquilo que passou a ser chamado pelas novíssimas direitas de “ideologia de gênero”, tendo em vista essa recente forma de difusão e capilarização de certa narrativa que opera como verdade decorrente de novas tecnologias de poder que atuam no ciberespaço através do empreendedorismo moral orientado por certo marketing político de tradição neoconservadora. Considerando o debate epistemológico acerca da pós-verdade, procuramos por meio do método cibercartográfico, identificar como a divulgação incessante de materiais de apelo emotivo que valorizam muito mais a forma do que o conteúdo, tal qual como memes, fake news e teorias conspiratórias difundidas nas mídias digitais, têm legitimado o combate aos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres e das minorias sexuais, procurando alterar a percepção acerca de entendimentos sobre a categoria gênero que é apresentada como consenso no campo acadêmico nacional e internacional e corroborada pela Organização Mundial da Saúde – OMS e a Associação Psiquiátrica Americana.

Palavras-Chave: Ideologia de gênero, Direita, Novíssimas direitas, Pós-verdade.

The fight against “Gender ideology” in the post-truth era: a cyber cartography of fake news disseminated in Brazilian digital media

ABSTRACT

The objective of this article is to analyze the meanings and effects of what the newest rightwing influencers call “gender ideology”. Considering this recent form of diffusion and capillarization of this certain narrative, it is stablished as the truth due to new technologies of power acting in the cyberspace through a moral entrepreneurship guided by a political marketing of neoconservative tradition. Grounded on the epistemological debate on post-truth and a cibercartographic methodology, we pursue to identify how the incessant diffusion of emotionally appealing materials has legitimized the fight against sexual and reproductive rights of women and sexual minorities. These materials valorize form more than content, just like memes, fake news and conspiracy theories disseminated through digital media. They struggle to change perceptions on the understandings about gender, which is consensual in the academic field and supported by the World Health Organization and American Psychiatric Association.

Keywords: Gender ideology, Right-wing, Newest right, Post-truth.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pablo Ornelas Rosa, Universidade Vila Velha

Doutor em ciências sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), com estágio pós-doutoral em sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e em saúde coletiva pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), mestre em sociologia política e bacharel em ciências sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor permanente nos Programas de Pós-Graduação em Sociologia Política – PPGSP (Mestrado Acadêmico) e em Segurança Pública – PPGSO (Mestrado Profissional) da Universidade Vila Velha (UVV) e um dos coordenadores do Núcleo de Pesquisa em Ativismos, Resistências e Conflitos (NUPARC).

Aknaton Toczek Souza, Universidade Federal do Paraná

Doutor e mestre em sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), pesquisador vinculado ao Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos – CESPDH (UFPR) e professor do curso de graduação em direito na Faculdade SECAL.

Giovane Matheus Camargo, Universidade Federal do Paraná

Doutorando em sociologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde é aluno bolsista pela CAPES e mestre em sociologia pela mesma instituição (UFPR). Pesquisador do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos da Universidade Federal do Paraná – CESPDH (UFPR) e professor do curso de graduação de direito da Faculdade INSULPAR

Downloads

Publicado

2020-03-20

Edição

Seção

DOSSIÊ