Agualusa: Por uma poetica da estremadura

Adrianna Machado Meneguelli

Resumo


O escritor angolano José Eduardo Agualusa – que se define como um afro-luso-brasileiro – tece suas histórias num espaço instavelmente fronteiriço. Entre países, línguas, etnias, entre a história e a literatura, e entre outros saberes, circulam personagens, em grande parte mestiços, forjados pela literatura e ao mesmo tempo margeados por uma História que é a de povos, e de narrativas, que se cruzam. Os romances Nação crioula e O ano em que Zumbi tomou o Rio lidos à luz de pensadores como Walter Benjamin e Homi Bhabha, dentre outros – se nos assomam como propícios para identificarmos, nas tramas agualusianas, a opção por uma  poética da estremadura.

Palavras-chave: Literatura africana. Fronteira. Poética. Pós-colonialidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.