OCEANO DE FRONTEIRAS INVISÍVEIS: Escravidão; migrações e identidades na literatura

Daiana Nascimento dos Santos

Resumo


Na presente discussão, o oceano adquire caráter de protagonista, de modo a enfatizar os vínculos históricos do triângulo Europa-América-África, cujos imaginários foram importantes nas suas configurações de ordem política, econômica, histórica e cultural dos seus respectivos sujeitos ao longo da história.
A partir dessa perspectiva dinâmica e complexa de intercâmbios, de embates e de outras relações de diversas índoles, a significação e a relevância desses imaginários sofreram alterações significativas nos constantes processos de modificação, imposição e redefinição da sociedade, de suas culturas e de seus imaginários.
Nesse contexto, o objetivo desse trabalho é problematizar as literaturas e as culturas dentro de um marco discursivo oceânico2. Pretende-se, desse modo, recortar fragmentos de diversos textos literários subjacentes ao assunto aqui perscrutado. A partir de um horizonte mais amplo, unificado em problematizar questões relacionadas ao espaço oceânico, e ao mesmo tempo, se relaciona com uma das célebres epígrafes de Camões (1980): “viajar por mares, nunca dantes navegados”.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.