A FORMULAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DA META 4 DO PNE: ENTRE A INCLUSÃO TOTAL E A INCLUSÃO PREFERENCIAL, ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO

  • Roger Pena de Lima
  • Queina Lima Silva

Resumo

Este estudo, fruto das reflexões realizadas durante o Mestrado Acadêmico na Universidade de Brasília, buscou analisar a compreensão dos sujeitos envolvidos com a formulação e a implementação da Meta 4 do PNE. Orientado pela abordagem qualitativa, utiliza o Estudo de Caso, que recorre à análise documental, a entrevistas semiestruturadas e à roda de conversa. Os resultados permitiram desvelar os antagonismos que se estabeleceram no decorrer do processo de formulação da Meta 4 do Plano Nacional de Educação. Também foi possível evidenciar a compreensão que os agentes de implementação têm em relação à política analisada e debater as fragilidades no processo de implementação, segundo a visão dos sujeitos envolvidos.

Palavras-chave: Análise de implementação. Política de educação especial. Plano Nacional de Educação. Meta 4.

Referências

ADRIÃO, T.; BEZERRA, E. P. O setor não lucrativo na gestão da educação pública: corresponsabilidade ou debilidade. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 2, p. 256-268, maio/ago. 2013.

AMADO, J. Manual de investigação qualitativa em educação. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014.

ARRETCHE, M. T. S. Federalismo e relações intergovernamentais no Brasil: a reforma de programas sociais. Dados, v. 45, n. 3, p. 431-458, 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº. 9.394/96. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 1996.

_____. Congresso Nacional. Emenda Constitucional nº. 59, de 11 de novembro de 2009. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 11 nov. 2009.

BRASIL. Congresso Nacional. Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020): PL nº. 8.035/2010. Brasília/DF: Câmara dos Deputados, 2010.

______. Congresso Nacional. Lei nº. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. Brasília/DF, 26 jun. 2014.

______. Congresso Nacional. Emenda Constitucional nº. 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, 2016.

______. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: CNE/CEB, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Política nacional de educação especial na perspectiva inclusiva. Brasília, 2008.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Documento final. Brasília: Conae, 2010.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Tradução de Magda França Lopes. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

D'ASCENZI, L.; LIMA, L. L. Implementação de políticas públicas: perspectivas analíticas. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 48, p. 101-110, 2013.

DOURADO, L. F. Plano Nacional de Educação: Política de Estado para a Educação Brasileira. Brasília: Inep, 2016.

FERREIRA, V. da R. S.; MEDEIROS, J. J. Fatores que moldam o comportamento dos burocratas de nível de rua no processo de implementação de políticas públicas. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, jul./set. 2016.

FREY, K. Análise de políticas públicas: algumas reflexões conceituais e suas implicações para a situação brasileira. Cadernos de Pesquisa, PPGSP/UFSC., n. 18, p. 1-36, set. 1999.

GARCIA, R. M. C. Educação especial na perspectiva inclusiva: determinantes políticos e econômicos. Comunicações, Piracicaba, v. 23, n. 3, p. 7-26, 2016.

______. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 52, p. 101-239, jan./mar. 2013.

HILL, M. Implementação: uma visão geral. In: SARAIVA, E.; FERRAREZI, E. (org.). Políticas públicas: coletânea. Brasília: Enap, 2006. v. 2.

HILL, M.; HUPE, P. Implementation public policy. London: Sage Publications Ltd., 2002.

LANA-JÚNIOR, M. C. M. História do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos; Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010.

LIPSKY, M. Street-level bureaucracy: dilemas of the individual in public service. New York: Russell Sage Foundation, 1980.

LOTTA, G. S. Implementação de políticas públicas: o impacto dos fatores relacionais e organizacionais sobre os burocratas de nível de rua no Programa Saúde da Família. 2010. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade de São Paulo, São Paulo. 2010.

MANIFESTO dos pioneiros da educação nova. A reconstrução educacional do Brasil: ao povo e ao governo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1932.

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 33, p. 387-405, 2006.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Doc. A/61/611, Nova Iorque, 2006.

PLETSCH, M. D. A dialética da inclusão/exclusão nas políticas educacionais para pessoas com deficiências: um balanço do governo Lula (2003-2010). Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 12, n. 24, p. 39-55, jan./abr. 2011.

______. Educação especial e inclusão escolar: uma radiografia do atendimento educacional especializado nas redes de ensino da Baixada Fluminense/RJ. Ciências Humanas e Sociedade em Revista, Rio de Janeiro: Edur, v. 34, n.12, p. 31-48, jan./jun. 2012.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Revista Sociologias. Porto Alegre, ano 8, n. 16, 2006.

TEIXEIRA, E. C. O papel das políticas públicas no desenvolvimento local e na transformação da realidade. Revista AATR, 2002. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/dados/cursos/aatr2/a_pdf/03_aatr_pp_papel.pdf. Acesso em: 16 jun. 2019.

Publicado
2019-07-04
Seção
Artigos - Fluxo Contínuo