A contribuição dos movimentos Feministas na institucionalização das Políticas de gênero: aproximações e especificidades nos casos Brasil e Chile

Autores

  • Neiva Furlin Unoesc

DOI:

https://doi.org/10.47456/acp.v4i2.32799

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar e evidenciar a contribuição dos movimentos feministas e de mulheres, em suas especificidades e aproximações, no processo de institucionalização das políticas de gênero, no Brasil e no Chile. Trata-se de um estudo comparativo, de perspectiva interpretativa, que leva em conta as particularidades históricas, sociais e políticas de cada contexto, baseado em pesquisa bibliográfica e documental. Resultados apontam que tanto no Brasil como no Chile, o protagonismo dos movimentos feministas e de mulheres, além de outros fatores conjugados, foram de suma importância para a conquista dos Mecanismos Institucionais de Políticas para as Mulheres. Há, contudo, especificidades que estão vinculadas ao contexto histórico e político de cada país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neiva Furlin, Unoesc

Doutora em Sociologia pela UFPR (2014); professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc)

Downloads

Publicado

2020-10-14