A RELEVÂNCIA DA LITERATURA NEGRO-BRASILEIRA PARA NOSSA EDUCAÇÃO: ABRANGÊNCIA E REPRESENTATIVIDADE NA PROSA DE GENI GUIMARÃES

Autores

  • Ângela da Silva Gomes Poz

Resumo

Este estudo propõe uma análise da literatura negro-brasileira de Geni Guimarães, de modo a destacar a sua relevância à nossa Educação de forma abrangente: quer pela diversidade do conteúdo de sua escrita, quer pela possibilidade de a mesma suscitar reflexões que podem ser compartilhadas em quaisquer níveis de ensino e alcançada por leitores de variadas idades. Geni Guimarães é uma premiada escritora negra brasileira, que optou por abraçar a temática da negritude em sua obra, uma vez que representa a sua própria história em obras ficcionais autobiográficas como Leite de peito (2001) e A cor da ternura (2018), em que ainda registra com maestria experiências de sua vida como professora, num país ainda tão desigual e racista como o nosso, revelado com sutileza em suas letras de mulher negra, oriunda do interior do Estado de São Paulo, filha de uma família de trabalhadores, de cujo seio ela herda os valores ancestrais (especialmente incorporados na figura materna), e da Educação, para transpor as barreiras impostas pelos preconceitos. Com reminiscências de sua infância e de sua formação nas referidas obras e com enredos que envolvem o universo da criança nos livros que vão da categoria infantojuvenil para todas as idades, como Aquilo que a mãe não quer (2014) e O pênalti (2019), a autora constrói narrativas que induzem a reflexões várias, caras à Educação, como a importância dos laços

familiares,  dos saberes que vêm do ensino escolar e dos que vêm das tradições populares, do afeto aprendido na convivência com as diferenças e em que ponto ele pode elevar e unir as pessoas, numa aprendizagem ampla de mundo, acerca da realidade da população negra em nosso país e do fazer pedagógico frente às injustiças sociais decorrentes do racismo estrutural. Levantando questões que perpassam insterseccionalidades – raça, classe e gênero, a obra de Geni Guimarães (neste trabalho, abordamos livros em prosa) possibilita um encontro do Brasil real consigo mesmo, do leitor que se identifica com a realidade retratada e do que passa a conhecê-la pelo meio privilegiado de criação de empatia que é a literatura cuja linguagem é elaborada por uma escritora que (re)conhece, pela experiência vivenciada na própria pele, como mulher, negra e professora, o quanto nossa Educação carece dessa representatividade para abrir caminhos à mesma em todos os âmbitos sociais. Objetivamos, com breves abordagens das obras supracitadas, elencar, na prosa de Geni Guimarães, alguns pontos imprescindíveis para o ensino da História e da Cultura Afro-brasileiras na escola básica, conforme a Lei 10.639/2003, e para a formação cidadã mesmo fora da sala de aula, onde quer que se travem as lutas pela igualdade de direitos, fortalecendo as resistências do povo negro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-01-27

Edição

Seção

GT1 - Africanidades e Brasilidades em Literaturas e Linguística