A REPRESENTATIVIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO NO PIBID

Autores

  • Rafael Teixeira Ciríaco de Souza

Resumo

O presente trabalho surgiu de experiências obtidas através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID). Durante a estadia do bolsista no espaço escolar, foi possível observar o cotidiano da rede pública e suas realidades. A partir da vivência com os estudantes, algumas situações presenciadas saltam aos olhos no que tange à educação das relações étnico-raciais, dessa forma, neste trabalho serão analisadas algumas práticas estudantis sob tal recorte. Considerando os casos observados, a pesquisa tem como objetivo pensar possíveis atividades antirracistas a serem desenvolvidas nas escolas, buscar implementar práticas da Filosofia Africana Moderna nas relações escolares, além de valorizar o aluno negro através da arte-educação. Como metodologia, foram abordadas duas situações ocorridas, sendo analisadas qualitativamente. Foram trazidos aspectos da Filosofia Africana na educação, estudados por Machado (2014) no artigo “Filosofia Africana para descolonizar olhares: perspectivas para o ensino das relações étnico-raciais”, como a noção de

comunidade, a ancestralidade e o encantamento. Também recorre-se a Cavalleiro (2000), em sua dissertação e livro “Do silêncio do lar ao silêncio escolar: Racismo, preconceito e discriminação na educação infantil”, para contextualizar as formas de tratamento da criança negra na escola. Com base nessa pesquisa, foi possível chegar a propostas de aulas que reforcem as características culturais e físicas do negro na educação infantil, promovendo a pluralidade e a representatividade.

Palavras-chave: Educação Infantil. Negritude. Representatividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-01-27

Edição

Seção

GT 2- Africanidades e Brasilidades em Educação e Relações Étnico-raciais