A EXPERIÊNCIA DE TRABALHO DE CAMPO NA BAIXADA FLUMINENSE: DISPUTAS EPISTÊMICAS NA GEOGRAFIA

Autores

  • Vinícius de Luna Chagas Costa
  • Diomario da Silva Junior

Resumo

O presente artigo discute as contribuições do trabalho de campo como metodologia de ensino da Geografia a partir dos preceitos da Lei 10.639/03, ao oportunizar visões plurais na leitura do espaço por estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A atividade foi realizada em março de 2020, fruto da campanha 21 dias de ativismo contra o racismo, que engloba uma série de eventos organizados de forma coletiva pelo movimento negro e propõe reflexões sobre o enfrentamento do racismo em diversos âmbitos sociais. Da necessidade de analisar as toponímias e as marcas históricas de territórios apagados pelo branqueamento, surge a iniciativa descolonizadora de pesquisar um roteiro geográfico que pudesse de fato contribuir para a construção de novos referenciais posicionais dos estudantes em contraposição as narrativas e epistemes eurocentradas. O trabalho de campo foi realizado na região do Recôncavo da Guanabara, especificamente nas antigas freguesias de Nossa Senhora da Piedade do Iguaçu e de Santo Antônio de Jacutinga. A partir dessa prática concreta buscamos sistematizar o conhecimento histórico e geográfico envolvido e, mais precisamente, apresentar breves reflexões sobre as questões que giram em torno da escolarização de jovens e adultos trabalhadores. A relevância da pesquisa se ancora no fato de acreditarmos que prática de campo deva ser uma ferramenta teórico-prática capaz de ocorrer em qualquer nível educacional, inclusive na EJA. Os relatos de experiência apresentados registra o conjunto das atividades realizadas pela equipe pedagógica no referido campo. Por meio do exercício de análise da prática de campo proposta aos estudantes pertencentes ao nono período da Escola Municipal Rotariano Arthur Silva em Mesquita, no estado do Rio de Janeiro e da visão de diferentes autores que debatem a questão racial na educação, buscamos distinguir pontos básicos necessários ao reconhecimento do ensino de Geografia como elemento constitutivo de narrativas que reconheçam as lutas históricas dos negros na Baixada Fluminense.

Palavras-chave: Racismo; Colonialidade; Geografia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-01-27

Edição

Seção

GT 2- Africanidades e Brasilidades em Educação e Relações Étnico-raciais