Mulheres e empreendedorismo: MEI como política de combate à informalidade

Autores

  • Juliana Nunes Pereira

Resumo

Este artigo analisa o Programa Micro Empreendedor Individual e os reflexos desta para trabalho das mulheres que atuam no Polo de Confecções do Agreste Pernambucano. Nosso lócus de análise situa-se no Polo por este ter a confecção como peça fundamental de seu desenvolvimento, articulada a forte informalidade, o trabalho em domicílio como elemento fulcral e o trabalho produtivo e reprodutivo das mulheres como indispensável. A divisão sexual do trabalho é categoria utilizada para compreender como historicamente os princípios de separação e hierarquia consolidaram uma concepção de trabalho centrado no humano universal, o homem, impelindo as mulheres ao fosso do trabalho precário, parcial e desprotegido. Trata-se de pesquisa bibliográfica, documental e de campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-03