A MATEMÁTICA NA EJA

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM E AS MÍDIAS DIGITAIS

Autores

Palavras-chave:

Ensino-Aprendizagem, Matemática, Letramento Digital, Educação de Jovens e Adultos

Resumo

Este artigo tece uma reflexão teórica acerca da utilização das novas tecnologias no processo ensino-aprendizagem da matemática na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), tecendo as suas possibilidades e desafios. Este trabalho tem por objetivo analisar como as tecnologias da informação e comunicação interagem com processo ensino-aprendizagem de matemática na EJA, fazendo uma reflexão sobre o processo de formação dos professores para o uso das ferramentas tecnológicas no ensino de matemática nesta modalidade. Busca-se com isso saber qual o papel/impacto do uso das mídias digitais no processo ensino-aprendizagem de matemática na EJA. O quadro teórico utilizado foi Arroyo (2006), Buzzato (2001), Freitas (2010), Frigotto (1996), Nóvoa (1995), Rojo (2009), Soares (2008). A pesquisa está estruturada no modelo bibliográfico, ancorada a uma abordagem qualitativa. Espera-se que tal estudo seja de relevância para as discussões acerca da importância da utilização dos recursos tecnológicos nas aulas de Matemática na EJA e da necessidade da formação dos professores desta modalidade para o uso de tais recursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Batista Moscovits, Universidade do Estado da Bahia

Advogada e Consultora Jurídica; Professora; Mestre em Educação de Jovens e Adultos pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB); Aluna Especial do Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneiadade (PPGEDUC/UNEB), em 2020.1 - Disciplina Política Educacional Brasileira Pós-Graduanda em Direito Administrativo pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas); Pós-Graduanda em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Universidade Salvador (UNIFACS); Graduada em Direito pela Universidade Católica de Salvador (UCSAL); Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Facvest (UNIFACVEST); Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UNEB; Integra o Corpo Editorial da Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade, publicação do Departamento de Ciências, Humanidades e Tecnologias da UNEB em Bom Jesus Lapa/BA - UNEB/DCHT Campus XVII - Bom Jesus da Lapa(BA); Integra o Corpo Editorial da Revista Iroko - Tempo de Difusão; Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Formação, Trabalho e Identidades - FORTIS - UNEB - Grupo de Pesquisa/UNEB, Diretório CNPq; Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Ciência e resistência - Laboratório de inovação social do Velho Chico - UNEB - Grupo de Pesquisa/UNEB, Diretório CNPq; Líder do Grupo de Estudos (Pesquisa) - Improbidade Administrativa e Atuação dos Órgãos de Controle e Fiscalização - Liga Acadêmica de Estudos Jurídicos da Bahia (LAEJU/BA); Líder do Grupo de Estudos (Pesquisa) - Direitos da Mulher em Privação de Liberdade - LAEJU/BA.

Valter Manoel da Silva Junior, Universidade do Estado da Bahia

Mestre em Educação de Jovens e Adultos pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB (2019); Especialista em Educação, Contemporaneidade e Novas Tecnologias EAD pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (2014- 2016), possui Licenciatura em Letras Vernáculas pela Universidade Católica do Salvador (2006).Atualmente atua como Tutor do Curso de Letras Vernáculas da Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC. Professor das disciplinas Língua Portuguesa, Produção de Textos; Intervenção Social e Práticas Tecnológicas, Pesquisa Orientação e Iniciação Científica e Metodologia do Trabalho Científico e Trabalho de Conclusão de Curso - TCC em cursos técnicos e de graduação.

Referências

ARROYO, M. Educação de jovens e adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In GIOVANETTI, M.et al.(Org.). Diálogos na Educação de Jovens e Adultos.2ª ed. BH: Autêntica, 2006.

BÉVORT, Evelyne. BELLONI, Maria Luiza. Mídia-educação: conceitos, história e perspectivas. 2009. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/v30n109a08.pdf>, acesso em 10 de dezembro 2017.

BORGES. J. Inclusão digital e governo eletrônico: conceitos ligados pelo acesso a informação. Dissertação. (Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Federal da Bahia. Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, 2005.

BUZATO, M. E. O letramento eletrônico e o uso de computadores no ensino de língua estrangeira: contribuições para a formação de professores. Dissertação de Mestrado (Linguística Aplicada), UNICAMP, 2001.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura Vol. 1. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CORRÊA, Daiane dos Santos. SCHERER, Suely. Uso de TIC nas práticas de acadêmicos de um curso de Licenciatura em Matemática na modalidade EaD. 2012. Disponível em <http://www.uems.br/eventos/semana2012/arquivos /49_2012-09-28_15-44-41.pdf>, acesso em 10/Dez/2017.

D’AMBRÓSIO, U. Educação matemática: da teoria à prática. São Paulo: Papirus,1997.

FERREIRA, M. H. M.; FRADE, I. C. A. S. Alfabetização e Letramento em contextos digitais: Pressupostos de avaliação aplicados ao software HagáQuê. IN: RIBEIRO, A. E.; VILLELA, A. M. N.; SOBRINHO, J. C.; SILVA, R. B. (Orgs.). Linguagem, tecnologia e educação. Minas Gerais: Peirópolis, 2010, p. 15-27.

FONSECA, M. C. F. R. Educação matemática de jovens e adultos: especificidades, desafios e contribuições. Autêntica. Coleção Tendências em Educação Matemática. Disponível em: https://books.google.com.br/books. Acesso em 08 de dezembro de 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia - Saberes Necessários à Prática Educativa Editora Paz e Terra. Coleção Saberes. 1996 36ª Edição

FREITAS, Maria Teresa. Letramento Digital e Formação de Professores. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.26, n.03, p.335-352, dez. 2010.

KLEIMAN, Ângela. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 1995, p. 15-64.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópoles: Vozes, 1994.

NÓVOA, António. Formação contínua de professores: realidades e perspectivas. Aveiro, Univ.Aveiro, 1991.

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente In: Nóvoa, António (org) Os professores e a sua formação, 2 ed. Lisboa, Som Quixote, 1995.

OLIVEIRA, O. M. Representações sociais docentes sobre a mídia: aproximações e distanciamentos. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 18, n. 32, p. 211-220, jul/dez. 2009.

SÁ, Jussara Bittencourt de. MORAES, Heloisa Juncklaus Preis. Mídia e Educação: reflexões, relatos e atuações. Disponível em <http://www.uff.br/feuffrevistaquerubim/images/arquivos/artigos/mdia_e_educao_jussara_bittencourt_de_s__revista_querubim.pdf>, acesso em 11 de dezembro 2017.

SILVA, Solimar Patriota. Letramento Digital e Formação de professores na era web 2.0: O que, como e porque ensinar? HIPERTEXTUS REVISTA DIGITAL. VOLUME 8 – 2012. Disponível em: http://www.hipertextus.net/volume8/01-Hipertextus-Vol8-Solimar-Patriota-Silva.pdf>. Acesso em 12 de dezembro 2017.

SOARES, M. Alfabetização e Letramento. São Paulo: Contexto, 2008.

SCHÕN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org) Os professores e sua formação. Lisboa, Dom Quixote, 1992.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: parábola editorial, 2009.

Downloads

Publicado

2020-07-13