LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS:

UMA ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E DA REVISTA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ENTRE 2015 E 2019

Autores

  • Cristiane Silva Conceição Centro Universitário Leonardo da Vinci-Uniasselvi
  • Dailza Araújo Lopes Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Língua Brasileira de Sinais, Educação de Surdos, Educação

Resumo

O presente estudo teve como objetivo investigar em que medida as publicações feitas na Revista Brasileira de Educação Especial (RBEE) e na Revista de Educação Especial (REE), entre 2015 e 2019, trazem a temática da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliométrica. Ao longo dos cinco anos analisados, foram publicados um total de 247 artigos e 1 resenha, na RBEE; e 341 artigos, na REE. Dessas publicações, foram encontrados com o descritor libras: nove publicações, na RBEE; e 45, na REE. Constatou-se também, através da nuvem de palavras, que os artigos com a temática Libras se relacionavam com mais frequência com os descritores “educação”, “surdos” e “especial”. Assim, concluímos que houve um crescente número de publicações com a temática de Libras em ambas as revistas, porém, devido à importância da discussão para o processo educacional da comunidade surda, é necessário que se amplie as possibilidades de divulgação da produção acadêmica na área da Libras, visto que esta já se consolida como uma área de produção científica dentro da Educação Especial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACERVO do Ines. Ribeiro, Adalberto. O Instituto Nacional de Surdos Mudos. Disponível em:<http://repositorio.ines.gov.br/ilustra/bitstream/123456789/480/1 Revista_do_servico_publico.pdf>. Acesso: em 05 de jan.2019

ALVES, F. C. et.al. Educação de surdos em nível superior: desafios vivenciados nos espaços acadêmicos. In: ALMEIDA, WG., (Org.). Educação de surdos: formação, estratégias e prática docente [online]. Ilhéus, BA: Editus, 2015. p. 27-47.

ALMEIDA, WG., (Org.). Educação de surdos: formação, estratégias e prática docente [online]. Ilhéus, BA: Editus, 2015.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm Acesso em: 29 de dez. 2019.

BRASIL, Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf Acesso em: 12 de jan. 2020.

CAMPELLO, A. R.S. Deficiência Auditiva e Libras. Centro Universitário Leonardo da Vinci-Indial: Grupo Uniasselvi, 2009.

FRAZÃO, N. F.; LODI, A. C. B. Associação de Surdos de São Paulo e a defesa pelos direitos linguísticos dos surdos. Revista Educação Especial, v. 32, 2019, Santa Maria. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial Acesso em: 4 de jan.2020.

HAYASHI, M. C. P. I. Múltiplos olhares sobre a produção do conhecimento em Educação Especial. Diálogo Educacional, 11(32), 145-165, 2011. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/4108 Acesso em: 26 de jul. 2020.

INSTITUTO Nacional de Educação de Surdos. Disponível em: http://ines.gov.br/conheca-o-ines Acesso em: 05 de jan.2020.

LODI. A. C. A educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto n0 5.626/05. Revista de Educação e Pesquisa, v.39, n.1, p. 49-63,2013. São Paulo. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v39n1/v39n1a04.pdf Acesso em: 18 de set. 2019.

LOPES, S. C.; FREITAS, G. M. A construção do projeto bilíngue para surdos no Instituto Nacional de Educação de Surdos na década de 1990. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, DF, v. 97, n. 246, p. 372 - 386, ago. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S2176-66812016000200372&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 23 de abr. 2020.

MANTOAN. M. T. E. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

PEREIRA, C. A. R.; GUIMARÃES, Selva. A Educação Especial na Formação de Professores: um Estudo sobre Cursos de Licenciatura em Pedagogia. Revista Brasileira de Educação Especial, [s.l.], v. 25, n. 4, p.571-586, dez. 2019. FapUNIFESP (Scielo). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-65382519000400003 Acesso em: 12 de jan. 2020.

SANTOS; A. P. S.; GOES; R. S. Língua brasileira de sinais – libras. UNIASSELVI, 2016.

SILVA, J. H.; HAYASHI, M. C. P. I. Estudo bibliométrico da produção científica sobre a associação de pais e amigos dos excepcionais. Revista Educação Especial. v. 31; n. 60 p. 65-80 jan./mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial Acessado em: 11 de jan. 2020.

VIERA, C. D.; MOLINA, K. S. M. Prática pedagógica na educação de surdos: o entrelaçamento das abordagens no contexto escolar. Educação e Pesquisa, v. 44, 2018, São Paulo. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022018000100503 Acesso em: 18 de jan. 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-18