GOVERNANÇA CORPORATIVA FRONTEIRIÇA NEOLATINA

Autores

  • Fábio do Vale UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Pedro Henrique Alves de Medeiros UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Pedro Fleury Aranda Faculdade INSTED

Palavras-chave:

Governança Coorporativa, Gestão, Descolonização

Resumo

O presente artigo busca discutir a Governança Coorporativa no que tange à administração de uma empresa. Nessa esteira, interfere nas relações entre as pessoas das organizações e seus setores, organiza a política que a empresa deseja. Discutiremos neste artigo o quão a Governança Coorporativa é importante para organizar a estrutura e limitar o mau comportamento dos gestores para orientar sua tomada de decisão, além de promover a cultura de responsabilidade da empresa, também garante que processos e estratégias sejam seguidos de forma correta. Com a adoção das práticas de Governança Corporativa, as empresas profissionalizaram sua gestão. Nesse preciso sentido almejamos alcançar grandes corporações Brasil a fora, para que assim possamos gerir e propor melhorias na proposta da empresa e/ou mercado e assim, recolocando a própria empresa na área de combate. Trazendo consigo toda a bagagem de uma história sobre igualdade, ou seja, de modo outro, logo descolonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio do Vale, UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduado em Letras e Pedagogia, Licenciatura. Professor dos segmentos: universitário, pré-vestibular e colegial. Doutorando pelo programa de Pós-graduação da UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Membro do Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC) - UFMS. Pesquisador de Crítica Biográfica Fronteiriça - Estudos Fronteiriços na América Latina. Epistemologias do Sul. Descolonialidade. Mestre em Letras (Literatura, História e Sociedade) pela UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Pós-Graduado, Especialista em Docência no Ensino Superior. Pós-Graduado, Especialista Educação Especial (TGD) Transtornos Globais de Desenvolvimento e Altas Habilidades/Superdotação. Pós-Graduado em Neuropsicopedagogia. Autor dos livros Obras: O Refém do Abandono (Romance) Candelabro poético (Poemas) É membro associado à UBE-MS União Brasileira de Escritores de Mato Grosso do Sul, sendo Diretor de Cultura mandato 2018/2020 UBE-MS. Pesquisador Associado e Assessor de Projetos do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (CLAEC).

Pedro Henrique Alves de Medeiros , UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando em Estudos de Linguagens (PPGEL) com o projeto Uma (des)biografia descolonial de Silviano Santiago pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mestre em Estudos de Linguagens (PPGEL) com o projeto Entre homo-bios-grafias e escrevivências de Silviano Santiago: exercícios de crítica biográfica fronteiriça pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Graduado em Letras Licenciatura Português e Inglês pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Trabalhou como Bolsista PIBIC/UFMS/CNPq sob orientação do professor Dr. Edgar Cézar Nolasco com o projeto Silviano Santiago: mil rosas (auto)biográficas. Membro do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC) certificado pelo CNPq e Presidente da Comissão Organizadora do periódico CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS. Pesquisador Associado e Coordenador de Projetos Especiais do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (CLAEC). Coordenador do Evento Internacional Latinidades - Fórum Latino-Americano de Estudos Fronteiriços: Cultura, Arte, Literatura e Educação. Em 2020.2 atuou como Professor Visitante Voluntário de Graduação no Instituto Avançado de Ensino Superior e Desenvolvimento Humano (INSTED). Tem experiência na área de Letras com ênfase em Teoria Literária, Estudos Culturais, Crítica Biográfica, Literatura Comparada, Literatura Brasileira e Estudos Fronteiriços/Descoloniais.

Pedro Fleury Aranda, Faculdade INSTED

Acadêmico de Administração na Faculdade Insted. 

Referências

CHAVES, Pedro. Avança criação de frente parlamentar para segurança nas fronteiras. 2018. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/08/08/avanca-criacao-de-frente-parlamentar-para-seguranca-nas-fronteiras . Acesso em: 27 ago. 2020.

MEDEIROS, Pedro Henrique Alves de. Crítica biográfica fronteiriça: epistemologias do Sul. 2017. Disponível em:https://www.academia.edu/37342968/Cr%C3%ADtica_biogr%C3%A1fica_fronteiri%C3%A7a_epistemologias_do_Sul . Acesso em: 27 ago. 2020.

MIGNOLO, Walter D. Colonialidade, o lado mais escuro da modernidade. 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/33659565/Colonialidade_o_lado_mais_escuro_da_modernidade. Acesso em: 27 ago. 2020.

MIGNOLO, Walter D. Desafios decoloniais hoje. 2017. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/epistemologiasdosul/article/download/772/645 . Acesso em: 27 ago. 2020.

NOLASCO, Edgar César. Descolonizando a pesquisa acadêmica: uma teorização sem disciplinas. 2018. Disponível em: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/7725-Texto%20do%20artigo-24301-1-10-20190308%20(1).pdf . Acesso em: 27 ago. 2020.

PIMENTA, Paulo. As rotas da violência. 2011. Disponível em: https://veja.abril.com.br/brasil/as-rotas-da-violencia/ . Acesso em: 27 ago. 2020.

PREVEDELLO, Márcio; GRABNER, Sélia; SILVA, Tânia Moura de. O balanço social como ferramenta de gestão na cooperativa tritícola sepeense LTDA-contrisel. 2007. Disponível em:https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/1036/Argenta_Rivieri_Cardoso.pdf?sequence=1&isAllowed=y . Acesso em: 27 ago. 2020.

RAUPP, Valdir. Políticas de fronteiras devem ser integradas e diferenciadas por região, diz Raupp. Fonte: Agência Senado. 2017. Disponível em https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/08/31/politicas-de-fronteiras-devem-ser-integradas-e-diferenciadas-por-regiao-diz-raupp . Acesso em: 27 ago. 2020.

UNICEF, Fundo das nações unidas para a infância-oficina regional do Uncef para a América Latina e o Caribe(Tacro). Situação das crianças e adolescentes na tríplice fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai: desafios e recomendações Marcia Anita Sprandel (Coord.). Curitiba, Itaipu Binacional, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142006000200011 . Acesso em: 27 ago. 2020.

VALDEZ , Angélica; PIANTONI, Vagner . Brasil e Paraguai realizam hoje ato pela paz. 2003. Disponível em:https://www.douradosnews.com.br/noticias/brasil/brasil-e-paraguai-realizam-hoje-ato-pela-paz-aa4fb474b1011b7a08999f16b/149700/ . Acesso em: 27 ago. 2020.

VALE, Fábio do. Arquivos-Meus da Nossa Fronteira Latino-Americana: minhas experivivências fronteiriço-paraguaias na estética (des)pensada pelas epistemologias do sul. 2020. Disponível em: https://revistarascunhos.ufms.br/files/2020/10/Rascunhos-Culturais-21_Pronta.pdf Acesso em: 27 ago. 2020.

VANDRÉ, Geraldo. Pra não dizer que não falei das flores. 1968. Disponível em: https://m.letras.mus.br/geraldo-vandre/46168/ . Acesso em: 27 ago. 2020.

YOUSAFZAI, Malala . 7 símbolos na luta pelos Direitos Humanos no mundo. 2013. Disponível em: https://m.letras.mus.br/geraldo-vandre/46168/. Acesso em: 27 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Edição

Seção

Faculdade INSTED

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>