PENSAMENTO DESCOLONIAL NA ÁREA DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Autores

  • Fábio do Vale UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Pedro Henrique Alves de Medeiros UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Maria Victória e S. S. Crivelente Faculdade INSTED
  • Salef Gabriel G. Silva Faculdade INSTED
  • Vinícius Oliveira da Silva Torres Faculdade INSTED

Palavras-chave:

Descolonização, inteligência artificial, déficit, diversidade, desenvolvimento

Resumo

O presente artigo aborda a descolonização na inteligência artificial, visando que descolonização é uma forma de apresentar outras formas de observação, não apenas a central, de determinado assunto ou realidade. A partir disso, a necessidade do pensamento descolonial na área de AI (Artificial Intelligence) é de grande relevância, visto que o déficit de prestigiosos vindos do hemisfério Sul é extremamente evidente quando é citado o pioneirismo do campo, já que a mesma destaca nomes como Alan Turing, John McCarthy e Marvin Minsky, todos homens, brancos e vindos do hemisfério Norte. Nesse contexto, será apresentado as principais práticas epistemológicas eurocêntricas, e apresentar sua proposta antitética, tanto intelectual quanto cultural, para a construção de uma base pós-colonial no território computacional. Usando os princípios de Syed Mustafa Ali, professor da escola de computação e comunicação da Open University, e da perspectiva do grupo de acadêmicos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Faculdade Insted, América Latina, Brasil, Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O objetivo central é discernir o lócus da inteligência artificial para fundamentar uma visão descolonizada, para então amenizar a problemática da carência de inclusões e diversidades nesse espaço de trabalho, para que assim a área da Inteligência Artificial sofra um desenvolvimento cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio do Vale, UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduado em Letras e Pedagogia, Licenciatura. Professor dos segmentos: universitário, pré-vestibular e colegial. Doutorando pelo programa de Pós-graduação da UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Membro do Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC) - UFMS. Pesquisador de Crítica Biográfica Fronteiriça - Estudos Fronteiriços na América Latina. Epistemologias do Sul. Descolonialidade. Mestre em Letras (Literatura, História e Sociedade) pela UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Pós-Graduado, Especialista em Docência no Ensino Superior. Pós-Graduado, Especialista Educação Especial (TGD) Transtornos Globais de Desenvolvimento e Altas Habilidades/Superdotação. Pós-Graduado em Neuropsicopedagogia. Autor dos livros Obras: O Refém do Abandono (Romance) Candelabro poético (Poemas) É membro associado à UBE-MS União Brasileira de Escritores de Mato Grosso do Sul, sendo Diretor de Cultura mandato 2018/2020 UBE-MS. Pesquisador Associado e Assessor de Projetos do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (CLAEC).

Pedro Henrique Alves de Medeiros , UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando em Estudos de Linguagens (PPGEL) com o projeto Uma (des)biografia descolonial de Silviano Santiago pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mestre em Estudos de Linguagens (PPGEL) com o projeto Entre homo-bios-grafias e escrevivências de Silviano Santiago: exercícios de crítica biográfica fronteiriça pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Graduado em Letras Licenciatura Português e Inglês pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Trabalhou como Bolsista PIBIC/UFMS/CNPq sob orientação do professor Dr. Edgar Cézar Nolasco com o projeto Silviano Santiago: mil rosas (auto)biográficas. Membro do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC) certificado pelo CNPq e Presidente da Comissão Organizadora do periódico CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS. Pesquisador Associado e Coordenador de Projetos Especiais do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (CLAEC). Coordenador do Evento Internacional Latinidades - Fórum Latino-Americano de Estudos Fronteiriços: Cultura, Arte, Literatura e Educação. Em 2020.2 atuou como Professor Visitante Voluntário de Graduação no Instituto Avançado de Ensino Superior e Desenvolvimento Humano (INSTED). Tem experiência na área de Letras com ênfase em Teoria Literária, Estudos Culturais, Crítica Biográfica, Literatura Comparada, Literatura Brasileira e Estudos Fronteiriços/Descoloniais.

Maria Victória e S. S. Crivelente , Faculdade INSTED

Acadêmica de Análise e Desenvolvimento em Sistemas na Faculdade Insted. 

Salef Gabriel G. Silva , Faculdade INSTED

Acadêmico de Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Faculdade Insted. 

Vinícius Oliveira da Silva Torres , Faculdade INSTED

Acadêmico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Faculdade Insted. 

Referências

BERTHO, Helena. Os algoritmos estão ajudando a criar novos machistas? 2019. Disponível em: https://www.uol.com.br/universa/noticias/azmina/2019/10/09/os-algoritmos-estao-ajudando-a-criar-novos-machistas. Acesso: 20 de outubro 2020

CÂMARA; COUTO, LUIS. PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1298877#:~:text=Art.,do%20sexo%20do%20servidor%20p%C3%BAblico. Acesso 20 de outubro de 2020.

CORREIO BRASILIENSE. Microsoft demite apresentadora do Xbox Brasil que sofreu com assédio e ameaças. 2020. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/diversao-e-arte/2020/10/4882918-microsoft-demite-apresentadora-do-xbox-brasil-que-sofreu-com-assedio-e-ameacas. Acesso em: 20 de outubro 2020.

GELEDES, Racismo algoritmo. 2019. Disponível em: https://www.geledes.org.br/racismo-algoritmico-pesquisador-mostra-como-os-algoritmos-podem-discriminar/?gclid=Cj0KCQiAqdP9BRDVARIsAGSZ8AmetgRfoC_0DD3K-0R87ZMcl0LGxEEJkKaoqlCMp-1N6Ionokx7U80aAqEYEALw_wcB. Acesso em 04 de outubro 2020.

GS1. Brasil se destaca na adoção de IA na América Latina. 2020. Disponível em: https://noticias.gs1br.org/brasil-se-destaca-na-adocao-de-ia-na-america-latina. Acesso: 23 setembro 2020.

MARI, Angelica. Conheça o centro da inteligência artificial no Brasil. 2020. Disponível em: https://forbes.com.br/negocios/2020/05/conheca-o-centro-da-inteligencia-artificial-no-brasil. Acesso: 23 setembro 2020.

MIGNOLO, Walter. Desafios descoloniais hoje. 2017. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/epistemologiasdosul/article/download/772/645. Acesso: 27 ago. 2020.

MOHAMED, Shakir; THERESE, Marie; ISAAC, William. Decolonial AI: Decolonial Theory as Sociotechnical Foresight in Artificial Intelligence. 2020. Disponível em: https://arxiv.org/pdf/2007.04068.pdf. Acesso: 22 setembro 2020.

MUSTAFA ALI, SYED. Descolonizar a computação. Disponível em: https://digilabour.com.br/2019/04/18/descolonizar-a-computacao-entrevista-com-syed-mustafa-ali/. Acesso 15 de outubro 2020.

PENSADOR, ARISTÓTELES. Disponível em :https://www.pensador.com/frase/MTQ1OTEwNw/. Acesso 20 de outubro 2020.

RUSSELL, S.; NORVING, P. Inteligência Artificial. 3° edição. Local de publicação: Campus, 11 setembro 2013.

SANTOS, F.C.; CARVALHO, C. L. Aplicação da Inteligência Artificial em Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo. 2008. Disponível em: http://ww2.inf.ufg.br/sites/default/files/uploads/relatorios-tecnicos/RT-INF_001-08.pdf. Acesso em: 20 de outubro 2020.

SSMA, REVISTA FORBES. Confira 20 citações sobre tecnologia para profundas reflexões. Disponível em: https://sspma.com.br/revista-forbes-confira-20-citacoes-sobre-tecnologia-para-profundas-reflexoes/. Acesso 20 de outubro 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Edição

Seção

Faculdade INSTED