Sobre tragédia, história e filosofia

Theo Machado Fellows

Resumo


Este ensaio propõe uma reflexão sobre visões históricas e filosóficas em torno da tragédia, da poesia e da arte em geral. O que efetivamente permitiu que estas atividades humanas fossem valorizadas ao longo do tempo e representassem um dos mais significativos legados da cultura ocidental? Que tipo de verdade nós realmente enxergamos na arte, que não podemos obter de nenhuma outra forma? Cientes de que não há resposta definitiva para estas questões, procuramos neste artigo analisar algumas das principais teorias desenvolvidas na filosofia da arte. Como fio condutor para este percurso, elegemos aquela forma que receberá, em quase todas as grandes teorias da arte formuladas ao longo dos tempos, um lugar de destaque: a tragédia.


Palavras-chave


Filosofia da arte; história; poesia; tragédia

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Arte Poética. Tradução de Eudoro de Souza. São Paulo: Nova Cultural, 1973 (Coleção Os Pensadores, vol. IV).

BENJAMIN, Walter. Dois poemas de Hölderlin. In: ______. Escritos sobre mito e linguagem. Tradução de Ernani Chaves e Susana Kampff Lages. São Paulo: Ed. 34 / Ed. Duas Cidades.

CAUQUELIN, Anne. Teorias da arte. Tradução de Rejane Janowitzer. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

HÖLDERLIN, Friedrich. Reflexões. Tradução de Márcia de Sá Cavalcanti. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

KANT, Immanuel. Crítica da Faculdade do Juízo. Tradução de Valério Rohden e Antonio Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

LACOUE-LABARTHE, Philippe. A cesura do especulativo. In: ______. A imitação dos modernos. Tradução de Virgínia Figueiredo e João Camillo Penna. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

MACHADO, Roberto. O nascimento do trágico: de Schiller a Nietzsche. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2006.

NIETZSCHE, Friedrich. Ecce homo. Como alguém se torna aquilo que é. Tradução, notas e prefácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SCHELLING, Friedrich. O mais antigo programa sistemático do idealismo alemão. Tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho São Paulo: Nova Cultural, 1989 (Obras escolhidas – Coleção Os pensadores).

¬¬______. Poesia ingênua e sentimental. Tradução, apresentação e notas de Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.