À Primeira Vista, entre afetos, corpo, imagem e memória

Rubiane Maia

Resumo


‘À Primeira Vista, entre afetos, corpo, imagem e memória’ foi um projeto realizado entre os anos de 2013/2014 com apoio da Secretaria Estadual de Cultura do Espírito Santo, via Edital Bolsa Ateliê em Artes Visuais, e que teve seu processo exibido na mostra coletiva “Modos de Usar”, no Museu de Arte do Espírito Santo – MAES, com curadoria de Júlio Martins. A pesquisa perpassa algumas relações entre a performance, a literatura, e o audiovisual, e foi inspirado pelo livro mexicano ‘Como água para Chocolate’, de Laura Esquivel. O mesmo trata da vida cotidiana e ordinária passada no interior de um rancho. No entanto sua singularidade aparece ao usar como pano de fundo a cozinha, mais especificamente a relação que os personagens estabelecem entre suas emoções e a comida: seja ela no ato de comer, ou de preparar os alimentos. Fato que
inaugura na literatura mexicana um termo denominado cozinha-ficção. Um segundo intercessor também foi encontrado em Marcel Proust, em seu livro – ‘Em busca do tempo perdido’, no trecho que narra a sua busca pelo real sentido da experiência da alegria. Afeto que surge evocado pela degustação de uma xícara de chá e um bolo de ‘madeleine’, um gesto espontâneo que instala o personagem num tipo de epifania estendida para além do tempo presente.


Palavras-chave


Afeto; Corpo; Imagem; Memória

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.