Teoria do Discurso: possibilidades de análise dos sentidos da docência na política curricular (1996-2006)

Kátia Costa Lima Corrêa de Araújo

Resumo


O artigo problematiza a tese da docência como base da formação e da identidade de todo profissional da educação, formulada pela Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE), como uma demanda hegemônica no debate da política curricular (1996-2006). Operamos com a teoria do discurso de Ernesto Laclau questionando os essencialismos e as tentativas de fechamento da significação da política curricular. A tese da docência como a base da formação e da identidade do profissional da educação é analisada como uma demanda hegemônica que disputa a significação em torno da concepção de Pedagogia, da identidade do curso de Pedagogia e de projetos curriculares relacionados à formação dos profissionais da educação no debate em tela.

Palavras-chave: Teoria do discurso. Docência. Política curricular.

 

Resumen

El artículo problematiza la tesis de la docencia como base de la formación y de la identidad de todo profesional de la educación, formulada por la Asociación Nacional por la Formación de los Profesionales de la Educación (ANFOPE), como una demanda hegemónica en el debate de la política curricular (1996-2006). Operamos con la teoría del discurso de Ernesto Laclau cuestionando los esencialismos y los intentos de cierre de la significación de la política curricular. La tesis de la docencia como la base de la formación y de la identidad del profesional de la educación es analizada como una demanda hegemónica que disputa la significación en torno a la concepción de Pedagogía, de la identidad del curso de Pedagogía y de proyectos curriculares relacionados a la formación de los profesionales de la educación en el debate en pantalla.

Palabras clave: Teoría del discurso. Enseñanza. Política curricular.


Abstract

The article problematizes the thesis of teaching as the basis of formation and the identity of all professionals of education, formulated by the National Association for the Training of Education Professionals (ANFOPE), as a hegemonic demand in the curriculum policy debate (1996-2006). We operate with Ernesto Laclau's discourse theory questioning the essentialisms and the attempts to close the meaning of curricular policy. The thesis of teaching as the basis of the formation and identity of the education professional is analyzed as a hegemonic demand that contests the meaning around the conception of Pedagogy, the identity of the Pedagogy course and curriculum projects related to the education professionals training in the debate on the screen.

Keywords: Discourse theory; Teaching; Curricular policy.


Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, Nicola (2007). Dicionário de filosofia. Tradução da 1ª edição brasileira coordenada e revista por Alfredo Bossi; revisão da tradução e tradução dos novos textos Ivone Castilho Benetti. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes.

ANDRADE, Michely Peres (2013). “A contribuição metodológica de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe para a Sociologia contemporânea”. Crítica e Sociedade: Revista de Cultura Política. v. 3. n. 1. ago.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL PELA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, ANFOPE (2000). Documento Final. In: Encontro Nacional da ANFOPE 10. 2000, Brasília. Anais. Brasília: ANFOPE.

______. (2002). Documento Final. In: Encontro Nacional da ANFOPE 11, 2002, Florianópolis. Anais. Florianópolis: ANFOPE.

______. (2006). Documento Final. In: Encontro Nacional da ANFOPE XIII. Campinas, SP, Anais. Campinas, SP: ANFOPE.

______. (1998). Documento Final. In: Encontro Nacional da ANFOPE 9, 1998, Campinas, SP. Anais. Campinas, SP: ANFOPE.

BRASIL (1996). Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível: . Acesso em: 14 jun.

______. (2000a). Resolução CNE/CP n. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura. 2000a. Desculpe o equívoco.

______. (2000b). Resolução CNE/CP n. 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior.

______. (2006). Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura.

______. (1999). Resolução CNE/CP n. 1/1999. Dispõe sobre os Institutos Superiores de Educação (ISEs).

FERREIRA, Maria Cristina Leandro (2005). Linguagem, ideologia e Psicanálise. Estudos da Língua(gem). Michel Pêcheux e a Análise de Discurso. Vitória da Conquista, n. 1, pp. 69-75, junho.

FRANCO, Maria Amélia Santoro (2008). Pedagogia como ciência da educação. 2. ed. rev. ampl. São Paulo: Cortez.

FREITAS, Helena C. L. de (2005). Sobre diretrizes e pedagogia: texto restrito para estudo da entidade. Disponível em:

HOWARTH, David (2008). “Hegemonia, subjetividad política y democracia radical”. In: CRITCHLEY, Simon; MARCHART, Oliver (Org.). Laclau: aproximaciones críticas a su obra. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal (1987). Hegemonia y Estratégia Socialista. Hacia una radicalización de la democracia. Madrid: Siglo XXI.

______. (2008a). “Posfácio”. In: MENDONÇA, Daniel de; RODRIGUES, Léo P. (Orgs.). Pós-Estruturalismo e teoria do discurso: em torno de Ernesto Laclau. Porto Alegre: EDIPUCRS,

______. (2008b). “Atisbando El Futuro”. In: CRITCHLEY, Simon; MARCHART, Oliver (Orgs.). Laclau: aproximaciones críticas a su obra. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

______. (2006). “Inclusão, exclusão e a construção de identidades”. In: AMARAL JR, Aécio; BURITY, Joanildo A. (Orgs.). Inclusão social, identidade e diferença: perspectivas pós-estruturalistas de análise do social. São Paulo: Annablume.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal (2011). Hegemonia y Estratégia Socialista. Hacia una radicalización de la democracia. 3ª ed. 1ª reimp. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

______. (2011a). La razón populista. 6ª reimp. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica.

______. (2011b). Emancipação e diferença. Coordenação geral e revisão técnica geral, Alice Casimiro Lopes e Elizabeth Macedo. Rio de Janeiro: EdUERJ.

LIBÂNEO, José Carlos; PIMENTA, Selma Garrido (1999). “Formação de profissionais da educação: visão crítica e perspectiva de mudança”. Educação & Sociedade, Campinas, ano XX, nº 68, dezembro.

LIBÂNEO, José Carlos (2006). “Diretrizes Curriculares da Pedagogia: imprecisões teóricas e concepção estreita da formação profissional de educadores”. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, pp. 843-876, out. Disponível em:

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabete (2011a). Teorias de currículo. São Paulo: Cortez.

______. (2011b). “Contribuições de Stephen Ball para o estudo de política de currículo”. In: BALL, Stephen J.; MAINARDES, Jefferson. (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez..

MOUFFE, Chantal (1996). O regresso do político. Trajectos 32. Tradução Ana Cecília Simóes. Lisboa: Gradiva.

PETERS, Michael (2000). Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica.

SAVIANI, Dermeval (2012). A pedagogia no Brasil: história e teoria. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados.

SHEIBE, Leda; AGUIAR, Márcia Ângela (1999). “Formação de profissionais da educação no Brasil: o curso de pedagogia em questão”. Educação e Sociedade, Campinas, ano XX, n. 68, dezembro.

WITTGENSTEIN, Ludwig (2013). Investigações filosóficas. Tradução de Marcos G. Montagnoli. Revisão da tradução e apresentação Emmanuel Carneiro Leão. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_____________

ISSN: 2316-1620

_____________

QUALIS:

Interdisciplinar B2

Administração B3

História B3

Sociologia B4

Antropologia B4

Ciência Política B5

____________________________________________________________________________________________________

INDEXADORES e DIRETÓRIOS

                                                    

                                                        

                                                                                 

   ____________________________________________________________________________________________________
NAS REDES SOCIAIS:
 
       

____________________________________________________________________________________________________

ciências humanas e sociais