Perspectivas georepresentacionais na operacionalização de um Atlas do Patrimônio Territorial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7147/geo.v1i31.31531

Palavras-chave:

Patrimônio territorial, planejamento, representação identitária

Resumo

O patrimônio, enquanto conceito e campo disciplinar, passa por ampliações conceituais, direcionadas à superação da dicotomia conservação-desenvolvimento, em duas frentes: espacial, por abarcar escalas que excedem o objeto; e temporal, por inserir a perspectiva processual da construção social do território. O patrimônio ampliado à escala territorial requer métodos de investigação que perpassam a arquitetura e se aproximam do campo da Geografia. Como potencial metodológico, apresentam-se os Sistemas Informativos Territorialistas, revisando dados base do Atlas do Patrimônio Territorial, de modo a compor um quadro diacrônico-evolutivo, evidenciando processos de dissipação e manutenção do patrimônio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Damiany Farina Nossa, UFES

Mestra (2018-2020) em Arquitetura no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Graduada (2018) em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (2018), com atividades em monitoria voluntária na disciplina Arquitetura no Brasil (2017) e bolsista (FAPES) de Iniciação Científica na linha de pesquisa Documentação e Representação do Patrimônio (2014-2015). Pesquisadora voluntária associada ao Laboratório Patrimônio & Desenvolvimento - Patri_Lab (2017-2018). Intercâmbio cultural na Università degli Studi di Firenze - UNIFI (2015-2016), com bolsa CAPES. Técnica em Construção de Edifícios pelo Instituto Federal do Espírito Santo (2009).

Renata Hermanny de Almeida, Universidade Federal do Espirito Santo

Professora do Departamento e do Programa de Pos-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Espirito Santo.

Referências

CARTA, Massimo; LUCCHESI, Fabio. Dal SIT al SITER. Verso um sistema informativo territoriale orientato ala comunicaziona pubblica. In: e-Arcon 2004: Tecnologie per comunicare l’architettura, 4, 2004, Ancona. DARDUS Università Politecnica Marche, 2004.

CARTA, Massimo. La rappresentazione nel progetto di territorio. Un libro illustrato. Firenze: Firenze University Press, 2011.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Unesp, 2001.

FANFANI, David; BERNI, Francesco; TIRINNANZI, Alessandro. Tra territorio e città. Ricerche e progetti per luoghi in transizione. Firenze: Firenze University Press, 2014.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 7 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

POLI, Daniela. Il patrimonio territoriale fra capitale e risorsa nei processi di patrimonializzazione proattiva. In: MELONI, B. “Aree interne e progetti d’area”. Torino: Rosenberg e Sellier, 2015, pp. 123-140

MAGNAGHI, Alberto. Rappresentare i luoghi. Metodi e tecniche. Firenze: Alinea Editrice, 2001.

MAGNAGHI, Alberto. La rappresentazione identitaria del territorio. Firenze: Alinea Editrice, 2005.

MAGNAGHI, Alberto. La storia del territorio nell’approccio territorialista all’urbanistica e alla piani-ficazione. Scienze del Territorio, v. 5, p. 32-41, 2017.

MARSON, Anna (Ed.). La struttura del paesaggio: una sperimentazione multidisciplinare per il Piano della Toscana. Roma: Laterza, 2016.

OTOYA, Liliana Bonilla et al. Manual de preinventario: urbano y arquitectónico. COCULTURA. Bogotá: Instituto Colombiano de Cultura, 1990.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. 2. Ed. São Paulo: Hucitec, 1991.

SANTOS, Milton. Espaço e método. 3. Ed. São Paulo: Nobel, 1992.

Downloads

Publicado

2020-12-17

Como Citar

NOSSA, D. F.; HERMANNY DE ALMEIDA, R. Perspectivas georepresentacionais na operacionalização de um Atlas do Patrimônio Territorial. Geografares, [S. l.], v. 1, n. 31, p. 167–190, 2020. DOI: 10.7147/geo.v1i31.31531. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/31531. Acesso em: 6 dez. 2021.