Modos de intercâmbio, metabolismo e formações sociais: contribuições do esquema de Kojin Karatani para pensar a dimensão espacial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v2i35.38483

Palavras-chave:

metabolismo, modos de intercâmbio, Geografia

Resumo

Filósofo marxista e crítico literário, Kojin Karatani é amplamente considerado um dos mais importantes teóricos japoneses da atualidade. Suas perspectivas inovadoras passaram a ser disseminadas no debate acadêmico ocidental à medida em que algumas de suas obras foram traduzidas para a língua inglesa. Dentro deste quadro, mereceram destaque os argumentos contidos em seu livro The Structure of World History, em que o autor propõe releituras de certas categorias marxianas colocadas em perspectiva na tentativa de uma reinterpretação da história universal. Sua proposta de tratar sobre modos de intercâmbio e sua recuperação do conceito de metabolismo para descrever a relação estabelecida entre sociedade e natureza, por exemplo, estão entre algumas de suas contribuições. Neste sentido o presente artigo intenta apresentar de maneira sumarizada algumas das ideias contidas no esquema de Karatani, buscando apontar como poderiam ser mobilizadas para contribuir com certos debates caros à Geografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Moreira Riani Costa, PPGG - UNESP (Rio Claro)

Graduado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) em Rio Claro. Discente do PPGG (Programa de Pós-graduação em Geografia) da UNESP de Rio Claro. Pesquisador do Laboratório de Investigações Geográficas sobre os Usos do Território (LUTe). Desenvolve pesquisa intitulada "A participação de investidores institucionais em concessões de infraestrutura territorial no estado de São Paulo: novos usos do território alinhados à financeirização", sob orientação do Prof. Dr. Fabricio Gallo, financiada pela FAPESP (Bolsa de Mestrado). Também, atualmente é pesquisador visitante na The City University of New York, desenvolvendo pesquisa sob supervisão da Profa. Dra. Cindi Katz, financiada pela FAPESP (Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior)

Referências

BARBOUR, Charles. The structure of world history: From modes of production to modes of exchange. Contemp Polit Theory, n. 16, 2017, 290–292. Disponível em: https://doi.org/10.1057/cpt.2016.19. Acesso em: 02 jun. 2022.

CASTREE, Noel. Marxism and the Production of Nature. Capital & Class, v. 24, n. 3, p. 5-36, out. 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1177/030981680007200102. Acesso em: 31 mai. 2022.

FOSTER, John Bellamy. Marx's Theory of Metabolic Rift: classical foundations for environmental sociology. American Journal Of Sociology, v. 105, n. 2, p. 366-405, set. 1999. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1086/210315. Acesso em: 31 mai. 2022.

FOSTER, John Bellamy; CLARK, Brett. Marx’s Universal Metabolism of Nature and the Frankfurt School: Dialectical Contradictions and Critical Syntheses. In: ORMROD, James S. (Org.) Changing Our Environment, Changing Ourselves. London: Palgrave MacMillan, 2016, 101–35.

HILLANI, Allan M.; TUPINAMBÁ, Gabriel.; CARON, J.-P.; MILLIE, J.; SILVEIRA, Maikel da; PEDROSO, Rafael; SALDANHA, Rafael.; NADERI, Reza; BARBE, Renzo; GUIDI, Tiago; SHULKIN, Yasha; YAO, Yuan. Atlas of Experimental Politics (reduced version). Ljubljana: ŠUM Journal, 2021. Disponível em: https://www.academia.edu/67951135/Atlas_of_Experimental_Politics_reduced_version_. Acesso em: 31 mai. 2022.

JAMESON, Fredric R. Ancient Society and the New Politics: from Kant to Modes of Production, Criticism: v. 58, n. 2, 2016 Disponível em: http://digitalcommons.wayne.edu/criticism/vol58/iss2/8. Acesso em: 31 mai. 2022.

KARATANI, Kojin. An Introduction to Modes of Exchange. Kojin Karatani (Officil Web Site), 2017. Disponível em: http://www.kojinkaratani.com/en/pdf/An_Introduction_to_Modes_of_Exchange.pdf. Acesso em: 31 mai. 2022.

KARATANI, Kojin. The structure of World history: from modes of production to modes of Exchange. Durham: Duke University Press, 2014.

KARATANI, Kojin; WAINWRIGHT, Joel. Critique is impossible without moves: Na Interview with Kōjin Karatani. Dialogues in Human Geography v. 2, n. 1, p. 30-52, 2012. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/2043820612436923. Acesso em 31 mai. 2022.

RICHTER, Steffi. Review of Karatani, Kojin, The Structure of World History: From Modes of Production to Modes of Exchange. H-Asia, H-Net Reviews. April, 2015. Disponível em: http://www.h-net.org/reviews/showrev.php?id=42393. Acesso em: 31 mai. 2022.

SMITH, Neil. Uneven development: nature, capital, and the production of space. Athens (Georgia): The University of Georgia Press, 2008.

WAINWRIGHT, Joel. The Spatial Structure of World History. Journal of Japanese Philosophy n. 4, p. 33-59, 2016. Disponível em: https://www.pdcnet.org/collection/show?id=jjp_2016_0004_0033_0059&file_type=pdf. Acesso em 31 mai. 2022.

WARK, McKenzie. All Power to the {Historical} Imagination! Public Seminar, 4 jan. 2015. Disponível em: http://publicseminar.org/2015/01/karatani/. Acesso em: 31 mai. 2022

Downloads

Publicado

01-12-2022

Como Citar

BRUNO MOREIRA RIANI COSTA. Modos de intercâmbio, metabolismo e formações sociais: contribuições do esquema de Kojin Karatani para pensar a dimensão espacial. Geografares, [S. l.], v. 2, n. 35, p. 328–352, 2022. DOI: 10.47456/geo.v2i35.38483. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/38483. Acesso em: 3 out. 2023.