A soja no estado do Maranhão, Brasil: uma análise temporal da expansão e substituição das culturas alimentares

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v3i37.40394

Palavras-chave:

expansão agrícola, produção de soja, geoestatística, fronteira agrícola, MATOPIBA, Maranhão, Brasil

Resumo

O Brasil é um dos países líderes mundiais na produção de soja, um dos grãos mais produzidos e consumidos no mundo. No Maranhão, um dos estados pertencentes à nova fronteira agrícola brasileira, MATOPIBA (englobando regiões do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), se observa um incremento na produção deste grão em 135 dos seus atuais 217 municípios. Nesta perspectiva, o objetivo deste estudo é analisar as dinâmicas espacial e temporal do avanço do cultivo de soja sobre as áreas que antes eram cultivadas com as lavouras de arroz, feijão, mandioca e milho naquela parte do estado do Maranhão. Para atingir ao objetivo a pesquisa utilizou dados da Produção Agrícola Municipal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e da Fundação Getúlio Vargas de vários anos. Diante dos resultados obtidos, observou-se que nos últimos 40 anos, a cultura da soja expandiu a sua produção nos municípios que fazem parte daquela fronteira. A conclusão geral da pesquisa é que o crescimento da soja nos municípios maranhenses do MATOPIBA, mesmo tendo avançado em áreas ainda não cultivadas antes, ocorreu principalmente sobre parte das áreas antes ocupadas por aquelas lavouras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Monteiro Feitosa, Universidade Federal do Ceará

Bacharela em Ciências Econômicas, Mestra em Economia Rural e Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará

Erika Costa Sousa, Universidade Federal do Ceará

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Piauí e mestranda em Economia Rural pela Universidade Federal do Ceará.

Louize Nascimento, Universidade Federal do Ceará

Bacharela em Gestão Ambiental pela Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Norte, Mestra em Manejo de Solo e Água pela Universidade Federal Rural do Semi-árido e Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará.

José de Jesus Sousa Lemos, Universidade Federal do Ceará

Professor do Depto de Economia Rural e do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Ceará

Referências

ALTHOFF, Daniel; Bazame, Helizani Couto; Filgueiras, Roberto, & Rodrigues, Lineu Neiva. Assessing rainfall spatial variability in the Brazilian savanna region with TMPA rainfall dataset. Journal of South American Earth Sciences, v. 111, 2021.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO BRASIL. Rio de Janeiro: IBGE, 1940-2012.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO BRASIL. Rio de Janeiro: IBGE, v. 70, 2010.

ARAÚJO, Luciana Spinelli et al. Conservação da biodiversidade do estado do Maranhão: cenário atual em dados geoespaciais. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2016.

BARBOSA, Janaina Araújo. A competitividade das exportações de castanha de caju e melão no nordeste brasileiro: 1997-2013. 2016. 63 f.: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Economia Agrícola, Programa de Pós-Graduação em Economia Rural. Fortaleza-CE, 2016.

BARLOW REPORT, Royal Comission on the Distribution of Population Report. London. HAMSO Command 6153. 1940.

BRUZACA, Ruan Didier. Direito de comunidades tradicionais face ao agronegócio: análise da tutela de direitos desde resistências à monocultura da soja no Baixo Parnaíba maranhense. Direito e Desenvolvimento, v. 11, n. 2, p. 129-147, 2020.

BUAINAIN, Antônio Márcio; GARCIA, Júnior Ruiz; VIEIRA, José Eustáquio Ribeiro. Dinâmica da economia e da agropecuária no MATOPIBA. Texto para discussão / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília: Rio de Janeiro: Ipea, 2017.

BUSS, Ricardo Niehues; Mendanha, José Francisco; da Silva, Daniel Martins, & Siqueira, Glécio Machado. Infraestrutura logística de transporte e armazenagem da soja no estado do Maranhão–Brasil. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 12, p. 31564-31580, 2019.

CREAMER, D. B. Industrial Location and Natural Resources. US Natural Resources Planning Board, Washington, DC, 1943.

CUNHA, Roberto Cesar Costa; ESPÍNDOLA, Carlos José. Da pecuária à soja: uma leitura de Balsas (MA) – Brasil – com base em vidal de lablache. Espaço & Geografia, v. 22, n. 1, p. 118, 2019.

DUNN Jr, Edgar. S. A Statistical and Analytical Technique For Regional Analysis. Papers and proceedings in regional science, Wiley Blackwell, v. 6, n. 1, p. 97-112, 1960.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Soja em números, 2021. Disponível em: < https://www.embrapa.br/soja/cultivos/soja1/dados-economicos>. Acesso em: 15 dez. 2021.

ESPÍNDOLA, Carlos José; CUNHA, Roberto César Costa. A dinâmica geoeconômica recente da cadeia produtiva da soja no Brasil e no mundo. GeoTextos, v. 11, n. 1, p. 217-238, 2015.

FERREIRA, M. A. S.; TEIXEIRA, E.C.; SOUZA, M. C. Determinantes da receita de exportação brasileira de açúcar e álcool. Rev. de Economia Agrícola, São Paulo, v. 56, n. 2, p. 47-59, jul./dez. 2009. Disponível em: http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/ftpiea/publicacoes/rea/n2/rea4-2-09.pdf

FREITAS, Márcio. A cultura da soja no Brasil: o crescimento da produção brasileira e o surgimento de uma nova fronteira agrícola. Enciclopédia Biosfera, v. 7, n. 12, 2011.

GARRETT, Rachael D.; RAUSH, Lisa L. Green for gold: social and ecological tradeoffs influencing the sustainability of the Brazilian soy industry. The Journal of Peasant Studies, v. 43, n. 2, 2016.

HIRAKURI, Marcelo Hiroshi; CONTE, Osmar; PRANDO, André Mateus; CASTRO, Cesar de; BALBINOT Jr, Alvadi Antônio. Diagnóstico da Produção de Soja na Macrorregião Sojícola 5. EMBRAPA, 2018.

HIRAKURI, Marcelo Hiroshi; LAZZAROTTO, Joelsio José. O agronegócio da soja nos contextos mundial e brasileiro. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Produção Agrícola Municipal (PAM). Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pam/tabelas>. Acesso em: 25 jun. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Agropecuário 2017. Disponível em: < https://censoagro2017.ibge.gov.br/>. Acesso em: 14 jul. 2021.

INSTITUTO MARANHENSE DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS E CARTOGRÁFICOS -IMESC. Produção Agrícola Municipal - O que mudou no Maranhão nos últimos 20 anos?, 2019. Disponível em: <https://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/outras-publicacoes/321>. Acesso em: 10 jul. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ECONOMIA DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS - FGV IBRE. Conjuntura Econômica – IGP-DI, 2020.

KNUDSEN, Daniel C.; BARFF, Richard. Shift-Share Analysis as a Linear Model. Environmentand Planning A, v. 23, n. 3, p. 421-431, 1991.

LEMOS, José de Jesus Sousa. Efeitos da expansão da soja na resiliência da agricultura familiar no Maranhão. Revista de Política Agrícola. n. 2, p. 17-25. 2015.

LOPES, Gabriela Russo; LIMA, Mairon G. Bastos; REIS, Tiago N.P. dos. Maldevelopment revisited: Inclusiveness and social impacts of soy expansion over Brazil’s Cerrado in Matopiba. World Development. v. 139, 2021.

MAPA. Crédito Rural. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Brasília, 2019.

MARTINS, Wanleysson Larry Dias; BLANCO, Claudio José Cavalcante; DE MELO, Adayana Maria Queiroz. Potencial erosivo das chuvas nos estados do Maranhão e Pará via análise da distribuição espacial da erosividade. Geoambiente On-line, n. 36, p. 1-18, 2020.

MIRANDA, Evaristo Eduardo de; MAGALHÃES, Lucíola Alves; DE CARVALHO, Carlos Alberto. Proposta de Delimitação Territorial do MATOPIBA. 2014.

MONTE, Paulo Aguiar do; RAMOS FILHO, Hélio de Sousa; SILVA, José Antonio Rodrigues da. A composição do emprego no Brasil: uma abordagem estocástica do método Shift-Share. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 48, n. 2, p. 111-126, 2017.

SALGADO, Carlos Eduardo Salazar. Dinâmica produtiva e aspectos sócio-espaciais da soja e do milho no território brasileiro. 2010.

NATIONAL OCEANIC AND ATMOSPHERIC AGENCY -NOAA. Satellite and Information Service. Disponível em:< https://www.globalclimatemonitor.org/#>. Acesso em: 15 jun. 2022.

PERLOFF, Harvey S. et al. Regions, resources, and economic growth. Regions, resources, and economic growth., 1960.

QGIS Development Team. Quantum GisVersão 3.16.6 Wroclaw. Open Source Geospatial Foundation, 2012.

REBOLLAR, Paola Beatriz May; MILLER, Paul Richard Momsen; CARMO, Victor Barbosa do. Desenvolvimento rural e práticas tradicionais de agricultores familiares: o caso do milho no vale do Capivari, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 5, n. 2, p. 174-186, 2010.

ROCHA, Stalys Ferreira; LEMOS, José de Jesus Sousa; CAMPOS, Robério Telmo. Simulações de Sustentabilidade na Produção de Alimentos da Agricultura Familiar do Estado do Maranhão. Desenvolvimento em Questão, v. 20, n. 58, p. e11440, 2022. DOI: 10.21527/2237-6453.2022.58.11440. Disponível em: <https://revistas.unijui.edu.br/index.php/desenvolvimentoemquestao/article/view/11440>. Acesso em: 26 fev. 2023.

RODRIGUES, Vanderson Viana; TERRA, Ademir. Conflitos socioespaciais entre os agricultores tradicionais e sojicultores no município de Balsas Maranhão. Brazilian Journal of Development, v. 4, n. 4, p. 1196-1216, 2018.

SILVA, José Antonio Rodrigues; MONTE, Paulo Aguiar. Dinâmica regional e setorial do emprego no Brasil: 1997, 2002 e 2007. Revista de Economia. Curitiba. Vol. 36. Pg. 11-27. 2011.

SOUSA, Erika Costa; LEMOS, José de Jesus Sousa; ARRUDA, Elano Ferreira; MENEZES, Ronaldo Haroldo Nascimento de. Climatic Regionalization And Rainfed Agricultural Production In The State Of Maranhão, Brazil. IOSR Journal Of Humanities And Social Science (IOSR-JHSS), v. 28, p. 35–44, 2023.

TRASE. Trase Yearbook 2018, Sustainability in forest-risk supply chains: Spotlight on Brazilian soy. Stockholm Environment Institute & Global Canopy, 2018.

Downloads

Publicado

01-12-2023

Como Citar

FEITOSA, Milena Monteiro; SOUSA, Erika Costa; NASCIMENTO, Louize; LEMOS, José de Jesus Sousa. A soja no estado do Maranhão, Brasil: uma análise temporal da expansão e substituição das culturas alimentares. Geografares, [S. l.], v. 3, n. 37, p. 114–131, 2023. DOI: 10.47456/geo.v3i37.40394. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/40394. Acesso em: 24 abr. 2024.