Relações sociedade-natureza a partir da teoria da alienação: contribuições teórico-conceituais de Marx e Lefebvre

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v4i38.44768

Palavras-chave:

epistemologia, alienação, espaço, sociedade-natureza

Resumo

A teoria da alienação desenvolvida por Marx é central para a construção de análises ontológicas e epistemológicas críticas acerca das relações sociedade-natureza na modernidade. Partindo desse pressuposto, objetiva-se estabelecer relações entre aspectos conceituais da teoria da alienação em Marx e sua atualização pelo filósofo Henri Lefebvre, propiciando, assim, interpretações da cisão sociedade-natureza a partir da dimensão espacial da realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Godinho Benedito, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Pós-doutor em Geografia pelo Departamento de Geografia e Meio Ambiente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) na linha de pesquisa Espaço, Cotidiano e Sustentabilidades. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) na linha de pesquisa Espaço e Sustentabilidades. Graduado em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Atualmente realiza pesquisas sobre Teoria e Epistemologia da Geografia e Geografia Urbana no Núcleo de Estudos e Pesquisa em Espaço e Metropolização (NEPEM), participa como pesquisador na linha de pesquisa intitulada Os Conflitos na (Re)produção e Metropolização do Espaço (pesquisa realizada junto ao Núcleo de Estudos e Pesquisa em Espaço e Metropolização - NEPEM), ministra disciplinas como professor da graduação em Geografia do Departamento de Geografia e Meio Ambiente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e ministra disciplinas como professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Referências

BEVEDER, M. B. Considerações sobre a reprodução das relações sociais e a produção dos espaços no pensamento de Henri Lefebvre. Marx e o Marxismo. v. 2, n. 3, ago/dez 2014. p. 335-356.

CARLOS, A. F. A. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011.

CARLOS, A. F. A. A privação do urbano e o “direito à cidade” em Henri Lefebvre. In: Justiça espacial e o direito à cidade. São Paulo: Contexto, 2017.

CIAVATTA, M. O conhecimento histórico e o problema teórico-metodológico das mediações. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (org.). Teoria e Educação no Labirinto do capital. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

ELDEN, S. Understanding Henri Lefebvre: Theory and the possible. New York: Continuum, 2004. DOI: https://doi.org/10.5040/9781472547798

GREGORY, D. et al. Geografia Humana: sociedade, espaço e ciência social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1996.

JAPPE, A. Alienação, reificação e fetichismo da mercadoria. Limiar, vol.1, n. 2, jan./jul. 2014. DOI: https://doi.org/10.34024/limiar.2014.v1.9275

LEFEBVRE, H. A Re-produção das Relações de Produção. Porto: Publicações Escorpião, 1973.

LEFEBVRE, H. Dialectical materialism. Minessota: Minessota press edition, 2009.

LEFEBVRE, H. Espaço e Política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

LEFEBVRE, H. Estrutura social: a reprodução das relações sociais. In: Sociologia e sociedade: leituras de introdução à sociologia. São Paulo: LTC, 1977.

LEFEBVRE, H. Metafilosofia. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1967.

LEFEBVRE, H. O marxismo. São Paulo: Difel, 1979.

LEFEBVRE, H. Sociologia de Marx. São Paulo: Forense, 1968.

LEFEBVRE, H. The production of space. Oxford, UK: Blackwell, 1991.

LENCIONI, S. Metropolização do espaço e a constituição de megarregiões. In: Desafios da metropolização do espaço. Rio de Janeiro: Consequência, 2015.

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011a; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MARX, K; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MÉSZÁROS, I. A montanha que devemos conquistar: reflexões acerca do Estado. São Paulo: Boitempo, 2015.

MÉSZÁROS, I. A teoria da alienação em Marx. São Paulo: Boitempo, 2016.

MÉSZÁROS, I. Causalidade, tempo e formas de mediação. In: Para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

MÉSZÁROS, I. O conceito de dialética em Lukács. São Paulo: Boitempo, 2013.

POSTONE, M. Tempo, trabalho e dominação social: uma reinterpretação da teoria crítica de Marx. São Paulo: Boitempo, 2014.

Publicado

28-06-2024

Como Citar

GODINHO BENEDITO, Gustavo. Relações sociedade-natureza a partir da teoria da alienação: contribuições teórico-conceituais de Marx e Lefebvre. Geografares, Vitória, Brasil, v. 4, n. 38, p. 218–242, 2024. DOI: 10.47456/geo.v4i38.44768. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/44768. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Geografia econômica, neoliberalismo e ecologia política do desenvolvimento