Monopolização e R-existências: educação do campo como fortalecimento da territorialidade camponesa no Noroeste do Espírito Santo.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7147/GEO20.9621

Resumo

Trata dos diferentes usos do território Noroeste do Espírito Santo, trazendo um recorte espaço-temporal a partir da década de 1920 até os dias atuais. Em um primeiro momento, expõe a gênese da atual estrutura fundiária desse território, destacando uma porção caracterizada pela predominância da pequena propriedade. Em seguida, investiga as transformações ocorridas na década de 1960, destacando a industrialização e modernização agrícola, bem como as posteriores mudanças oriunda do modelo urbano-industrial estendido para o campo. Por fim, aponta para os movimentos campesinos de r-existências, indicando a educação do campo como um elemento estratégico para a recriação e reprodução camponesa no Noroeste do Espírito Santo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angelo de Sousa Zanoni, Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGG-UFES)

Licenciado e Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo e Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

ZANONI, A. de S. Monopolização e R-existências: educação do campo como fortalecimento da territorialidade camponesa no Noroeste do Espírito Santo. Geografares, [S. l.], n. 20, p. 5–19, 2015. DOI: 10.7147/GEO20.9621. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/9621. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos