APROXIMAÇÕES ENTRE PAULO FRIERE E ANÍBAL QUIJANO

POR UMA EDUCAÇÃO CRÍTICA E DE(s)COLONIAL

Autores

  • Ana Otero de Oliveira Mendonca PPGCL- UNISUL (FAPESC)

Palavras-chave:

Colonialidade;, De(s)colonialidade, Educação.

Resumo

O presente artigo apresenta como objetivo promover a reflexão e a aproximação entre decolonialidade e educação. Para esta abordagem, mobilizo os textos: “Pedagogia do oprimido” ([1968]1983), do brasileiro Paulo Freire; e a obra “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina” (2005), do peruano Aníbal Quijano; “A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade” (2005), do argentino Walter D. Mignolo, e “Lo pedagógico y lo decolonial: Entretejiendo caminhos” (2013), de Catherine Walsh. O procedimento metodológico consiste em colocar em diálogo os pontos chave das pesquisas, buscando similaridades entre elas. Desenvolvo a hipótese de que seja possível encontrar aproximações conceituais e políticas entre as propostas de Paulo Freire (1983) e de Aníbal Quijano (2005) e ambas se aproximam do conceito de de(s)colonialidade. Com este artigo pretendo encontrar os pontos de aproximação entre os textos, e estabelecer o significado crítico político contemporâneo presente nas obras. Percebo que a cultura do silêncio tende a estagnar a história, e que os povos que têm resistido ao sistema colonial, demonstrando a existência de outras formas de ser, saber, existir, conhecer, viver! O universalismo só tem servido à má distribuição das condições de vida e a relativização da humanidade dos não-hegemônicos. Por fim demonstro como principais pontos de similaridade a valorização de uma ação humana consciente e crítica, bem como a superação das dicotomias fixistas, necessárias a uma pedagogia de(s)colonial que atue para as possibilidades de abertura

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinicius Nicastro Honesco. Chapecó (SC): Argos, 2009.

ARENDT, Hannah. On Revolution. New York: Penguin, 2006.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 2005. 339f. Tese (Doutorado em Educação) -Universidade de São Paulo, USP, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 13ed. Rio de Janeiro: Paz Terra, 1983.

FREIRE, Paulo. Pedagogy of indignation. Boulder, Colorado: Paradigm. 2004.

GLISSANT, Éduard. Poetics of relation. Universty of Michigan Press, 1997.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

MIGNOLO, Walter D. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: LANDER, E. (org.) A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. CLACSO: Buenos Aires, 2005.p. 33-48

MIGNOLO, Walter D. Colonialidad del poder y diferencia colonial. Anuario Mariateguiano, v. 9, n. 10, p. 113-122, 1999.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder, cultura y conocimiento en América Latina In Anuario Mariateguiano (Lima: Amauta) Vol. IX, Nº 9, 1997.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (org.) A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. CLACSO: Buenos Aires, 2005. p.227-278.

WALSH, Catherine (Ed.). Lo pedagógico y lo decolonial: Entretejiendo caminho. In: Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito, Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 2013.p.24-68

Downloads

Publicado

2021-10-04