O SENTIDO DO TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPOS DE PANDEMIA DA COVID -19

Autores

  • Roziane Aguiar dos Santos Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC
  • Emilia Peixoto Vieira Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC
  • Maricélia de Souza Pereira Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Palavras-chave:

Educação Infatil, Trabalho Docente, Pandemia COVID-19

Resumo

Este trabalho faz um recorte da pesquisa desenvolvida no primeiro semestre de 2020, em municípios da região Território Litoral Sul da Bahia, intitulada “A educação infantil em tempos de pandemia: o que dizem as docentes de municípios baianos sobre o trabalho”. Tem como objetivo principal refletir sobre o sentido do trabalho docente na educação infantil, em tempos de pandemia, a partir da fala de profissionais que atuam em algumas redes públicas de ensino em municípios do Sul da Bahia. O estudo buscou reunir dados e informações a partir de uma pesquisa do tipo exploratória. Os resultados evidenciam a dificuldade das profissionais em dar sentido ao trabalho de modo geral e ao trabalho docente na Educação Infantil em tempos de pandemia da Covid-19. Enfrentar o período pandêmico precisa de tempo e planejamento coletivo para que as demandas e realidades locais sejam atendidas adequadamente. Esses desafios que se apresentam precisam ser pensados coletivamente, para a realização de um trabalho sério e coeso, e que respeite o direito à educação das crianças. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roziane Aguiar dos Santos, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Mestra em Educação pela Universidade Estadual de Santa Cruz/UESC. Tutora do curso EAD de
Pedagogia – UAB / UESC. – É Membro do Grupo de Pesquisa CNPq Políticas Públicas e Gestão
Educacional (PPeGE) /UESC. Atua como Coordenadora Pedagógica da Rede Pública de Ensino do
Município de Itaju do Colônia/Ba. Email : roziaguiar@hotmail.com

Emilia Peixoto Vieira, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Doutora em Educação pela UNICAMP. É Professora Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz. É
professora do quadro permanente e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Mestrado
Profissional em Educação/PPGE - UESC. É coordenadora do Grupo de Pesquisa CNPq Políticas Públicas e
Gestão Educacional (PPeGE). Email: emilcarl28@hotmail.com

Maricélia de Souza Pereira, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Mestra em Educação pela Universidade Estadual de Santa Cruz/UESC. É Membro do Grupo de
Pesquisa Políticas Públicas e Gestão educacional - PPeGE e atua como Coordenadora Pedagógica da
Rede Pública Municipal de Ensino do Município de Coaraci/Ba. Email: moreiramsp@gmail.com

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 05/2020, de 28 de abril de 2020. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1 jun. 2020b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/pec-g/33371-cne-conselho-nacional-de-educacao/85201-parecer-cp-2020. Acesso em: 10 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 dez. 2009b. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=112015. Acesso em: 13 abr. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 6, de 24 de abril de 2007. Estabelece as orientações e diretrizes para execução e assistência financeira suplementar ao Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil – PROINFÂNCIA. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 abr. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/resolucao_n6_240407_proinfancia_medida18.pdf.pdf. Acesso em: 16 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 9394 de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Brasília, 1996. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 08 abr. 2020.

DEJOURS, C. A Loucura no Trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez Oboré, 1988.

GESTRADO. Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente. Base de dados. Trabalho Docente em Tempos de Pandemia. Belo Horizonte: UFMG, 2020.

HADDAD, L. Políticas integradas de Educação e cuidado infantil: desafios, armadilhas e possibilidades. Cadernos de Pesquisa,v. 36, n. 129, p. 519-546, set./dez. 2006.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional. Formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

INSTITUTO PENÍNSULA. Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do coronavírus no Brasil: Relatório de Pesquisa. 2020

MELLO, A. M.; NEGREIROS, F.; ANJOS, C. I. dos (Orgs.). Caderno de Direitos -Retorno à creche e à escola: Direitos das crianças, suas famílias e suas/seus educadoras/es -gestoras/es, professoras/es e funcionárias/os. Piauí: EDUFPI / FRENTE NORDESTE CRIANÇA, 2020. Disponível: https://www.ufpi.br/arquivos_download/arquivos/Caderno_Direitos_-_EDULPI_com_ISBN20200725103619.pdf.

MARX, K. O capital. São Paulo: Abril Cultural, 1983. v.1.

MELLO, D. Mais de um terço dos domicílios brasileiros não tem acesso à internet. Agência Brasil. São Paulo, 2018.

Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-07/mais-de-um-terco-dos-domicilios-brasileiros-nao-tem-acesso-internet. Acesso em: 10 abr. 2020.

SOLDATELLI, R. Processo de adoecimento de professores amplia durante pandemia. In: Esquerda Marxista: corrente marxista internacional, 2020. Disponível em: https://www.marxismo.org.br/processode-adoecimento-de-professores-amplia-durante-pandemia/. Acesso em: 10/out/2020.

VIEIRA, E.P. Gramsci e suas contribuições para a compreensão do Trabalho Docente. Trabalho & Educação, v.17, n. 1, p. 153-165, jan./abr. 2008.

VIEIRA, E.P. A Educação Infantil nos Municípios do Território Litoral Sul da Bahia. In: 38ª Reunião Nacional da Associação Nacional de Pesquisa em Educação – ANPEd. Anais [...]. São Luiz, 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-04

Edição

Seção

Dossiê - Da formação à prática pedagógica