Gramáticas racistas em xeque: o caso de um professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP)

Autores

  • Luana Ribeiro da Trindade Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil
  • Ana Carolina Costa dos Anjos Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.47456/simbitica.v8i1.35434

Resumo

Este artigo discute a gramática de relações raciais e os racismos a partir do caso de um professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia São Paulo (IFSP) que fez um post em seu perfil do Facebook, o qual foi denunciado por alguns segmentos sociais como racista. Metodologicamente, empreendemos um estudo de caso que foi operacionalizado a partir da averiguação e análise do que foi dito pelo professor, como também as notas emitidas pela instituição, coletivos e movimentos negros, matérias jornalísticas sobre o caso e entrevista com estudantes. Inferimos que a gramática das relações sociais com foco racial está passando por mudanças de representação, por isso, há “choque” entre os sentidos visados (coordenações formais) entre os atores. Analisamos, sob uma perspectiva weberiana, as relações sociais que se estabeleceram e entendemos que as mesmas são balizadas por probabilidades de ações dentro de um sentido visado pelos atores. Assim, olhamos as ações discursivas dos agentes que proferiram e se justificaram ao perceber a gramática das relações raciais. Para tanto, realizamos uma descrição analítica do caso construindo um aporte teórico, significando e conceituando categorias-chave, como democracia racial.

Palavras-chave: Relações Raciais; Racismos; Estudo de caso.

 

Abstract

This article sought to discuss the grammar of race relations and racism from the case of a professor at the Federal Institute of Education, Science, and Technology of Sao Paulo (IFSP) who posted on his Facebook profile and was denounced as racist by some social segment. Methodologically, we elaborated a case study that analyses what was said by the professor, as well as the notes released by the institution, collectives, and black movements, newspaper articles about the case, and interviews with students. We infer that the grammar of social relations with a racial focus is provoking changes in representation, so there is a “shock” between the senses targeted between the actors. We analyze, through a Weberian perspective, the social relations that are established and we understand that they are marked by probabilities of actions within a targeted sense (formal coordination) by the actors. Thus, we look at the discursive performances of the agents who uttered and justified themselves by understanding the grammar of racial relations. For this purpose, we carried out an analytical description of the case by constructing a theoretical contribution, meaning, and conceptualizing key categories such as racial democracy.

Keywords: Social Relationships; Racisms; Targeted sense.

 

Resumen

Este artículo busca discutir la gramática de las relaciones raciales y el racismo a partir del caso de un profesor del Instituto Federal de Educación, Ciencia y Tecnología de São Paulo (IFSP) que hizo una publicación en su perfil de Facebook y fue denunciado por algunos sectores sociales como racista. Metodológicamente realizamos un estudio de caso que se operacionalizó a partir de la captura y el análisis de lo que dijo el docente, así como las notas emitidas por la institución, los colectivos y movimientos negros, los artículos periodísticos sobre el caso y las entrevistas con los estudiantes. Inferimos que la gramática de las relaciones sociales con un enfoque racial está experimentando cambios en la representación, por ello se da un "choque" entre los sentidos mentados por los actores. Analizamos, desde una perspectiva weberiana, las relaciones sociales que se establecen y entendemos que están guiadas por las probabilidades de acciones dentro de un sentido específico (coordinación formal) por parte de los actores. En concordancia, observamos las actuaciones discursivas de los agentes que se pronunciaron y se justificaron al percibir la gramática de las relaciones raciales. Por ello, realizamos una descripción analítica del caso, construyendo una contribución teórica, significando y conceptualizando categorías clave como democracia racial.

Palabras clave: Relaciones raciales; Racismos; Direcciones de destino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Ribeiro da Trindade, Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil

Graduada em Serviço Social pela Faculdade Salesiana de Vitória/ES; Especialista em Educação Inclusiva pelo Instituto de Educação e Cultura Ulysses Boyd; Mestra em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo; Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil.

Ana Carolina Costa dos Anjos, Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil

Graduada em Comunicação Social/Jornalismo; Especialista em Ensino de Comunicação/Jornalismo e Mestra em Ciências do Ambiente, todos pela Universidade Federal do Tocantins. Atualmente é Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil. Bolsista CNPq.

Downloads

Publicado

2021-05-05

Como Citar

Trindade, L. R. da, & Anjos, A. C. C. dos. (2021). Gramáticas racistas em xeque: o caso de um professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). Simbiótica. Revista Eletrônica, 8(1), 86–109. https://doi.org/10.47456/simbitica.v8i1.35434

Edição

Seção

Artigo