A gestão pública da Covid-19 nas fronteiras brasileiras. O caso do município de Foz do Iguaçu

Autores

  • Lina Paula Machado Magalhães Instituto de Estudios Internacionales/Universidad Arturo Prat (Chile)
  • Luciana Ronconi Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)
  • Gláucia de Oliveira Assis Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.47456/simbitica.v8i2.36379

Resumo

O presente artigo aborda a gestão pública do município de Foz de Iguaçu para o enfrentamento da pandemia da Covid-19, assim como as implicações econômicas e sociais geradas por essas políticas na Tríplice Fronteira do Paraná. Trata-se de pesquisa qualitativa, de caráter exploratório e descritivo, que utilizou o método de análise indutivo. Foram analisados instrumentos públicos municipais formulados no período de março a julho de 2020 e fontes jornalísticas locais e nacionais. A partir do estudo realizado, pode-se chegar a algumas conclusões preliminares: no caso dos territórios de fronteira, a pandemia visibilizou e potencializou as desigualdades sociais históricas; as políticas públicas locais não têm considerado as particularidades do território de fronteira e tampouco as vozes e os corpos que lá habitam, o que acaba por vulnerabilizar ainda mais a população transfronteiriça.

Palavras-chave: fronteira; gestão pública; Covid-19; Foz do Iguaçu.

 

Abstract

This article address the public management of the municipality of Foz de Iguaçu to deal with the Covid-19 pandemic, as well as the economic and social implications generated by these policies in the Paraná Tri-Border Area. This is a qualitative, exploratory and descriptive research, which used the inductive analysis method. We analyzed municipal public instruments formulated in the period from March to July of 2020 and local and national journalistic sources. From the study carried out, some preliminar conclusions can be reached: in the case of border territories, the Pandemic has made historical social inequalities visible and potentialized; local public policies have not taken into account the particularities of the border territory and not even the voices and bodies that inhabit it, which ends up making the cross-border population even more vulnerable.

Keywords: border; public management; Covid-19; Foz do Iguaçu.

 

Resumen

El presente artículo aborda la gestión pública del municipio de Foz de Iguaçu para el enfrentamiento de la pandémica de la Covid-19, así como las implicaciones económicas y sociales generadas por esas políticas en la Triple-frontera del Paraná. Se trata de investigación cualitativa, de carácter exploratorio y descriptiva, que utilizó el método de análisis inductivo. Fueron analizados instrumentos políticos municipales formulados en el período de marzo a julio de 2020 y fuentes periodísticas locales y nacionales. A partir del estudio realizado, llegamos a algunas conclusiones preliminares: en el caso de los territorios de frontera, la pandemia visibilizó y potenció las desigualdades sociales históricas; las políticas públicas locales no han considerado las particularidades del territorio de frontera y tampoco las voces y cuerpos que allá habitan, lo que vulnerabiliza aún más la población transfronteriza.

Palabras-clave: frontera; gestión pública; Covid-19; Foz do Iguaçu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lina Paula Machado Magalhães, Instituto de Estudios Internacionales/Universidad Arturo Prat (Chile)

Graduação em Direito pela Universidade Federal Fluminense (2010). Mestrado em Estudos Urbanos pela Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais - Equador (2015). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental da Universidade do Estado de Santa Catarina. Investigadora associada do Instituto de Estudios Internacionales/Universidad Arturo Prat (Chile).

Luciana Ronconi, Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)

Graduação em História pela Universidade de São Paulo. Doutorado em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina e Pós-doutorado na Universidade Técnica de Lisboa. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina no Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental.

Gláucia de Oliveira Assis, Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil)

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Vale do Rio Doce (1987). Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Pós doutora pelo Núcleo de Estudos de População – NEPO/Unicamp (2018). Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina no Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental. 

Downloads

Publicado

2021-08-28

Como Citar

Magalhães, L. P. M., Ronconi, L., & Assis, G. de O. (2021). A gestão pública da Covid-19 nas fronteiras brasileiras. O caso do município de Foz do Iguaçu. Simbiótica. Revista Eletrônica, 8(2), 67–91. https://doi.org/10.47456/simbitica.v8i2.36379

Edição

Seção

Dossiê