Alguns aspectos filosóficos e políticos da teoria de Estado em Marx e Engels

Rémy Herrera

Resumo


Este artigo é uma introdução aos aspectos filosóficos e políticos da teoria de Estado em Marx e Engels. Nós sabemos no entanto que foi freqüentemente dito que não existiria uma teoria sistemática e terminada de Estado e de sua dinâmica em Marx, e ainda menos em Engels. Fica, porém, que as análises de Marx e Engels sobre o Estado são numerosas, desde seus primeiros escritos até seus últimos textos. Há de fato uma constelação de elementos teóricos, ou teóricos-históricos, mais que uma teoria de Estado propriamente dita. De onde vem esse paradoxo de uma falta aparente de teoria de Estado cuja análise é realmente omnipresente. E esse outro paradoxo, corolário, de críticas formuladas contra esta “falha” teórica que em realidade não faz que revelar a extraordinária riqueza dos debates teóricos sobre o Estado entre marxistas – ou mais amplamente entre heterodoxos – depois de Marx e Engels, e sobretudo graças a eles. O artigo tratará sucessivamente do Estado como: (1) expressão alienada da sociedade civil; (2) instrumento na luta de classe; (3) organização da classe dominante; (4) aparelho ou máquina; (5) alavanca da acumulação; (6) ligado ao Capital; e finalmente (7) na revolução.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18315/argumentum.v3i2.2020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons