Drogas pesadas em discussão no Primeiro Seminário sobre Psicodélicos do Rio de Janeiro

Sandro Eduardo Rodrigues, Fernando Rocha Beserra

Resumo


O artigo problematiza a produção de danos pelo modo como o proibicionismo vem abordando a relação humana com substâncias psicodélicas, que levou à necessidade de promoção de um debate clínico-político, realizado através do Primeiro Seminário sobre Psicodélicos do Rio de Janeiro. Com base em tal debate, o texto introduz uma terminologia sobre psicodelia e apresenta alguns aspectos da história de dois fármacos psicodélicos – o LSD e o MDMA – que colocam em xeque notícias de surgimento de novas drogas pesadas ou perigosas em si mesmas. Apostando na redução de danos como paradigma e diretriz das políticas de cuidado, o seminário ressaltou a necessidade urgente de se dar relevo aos aspectos pessoais (set) e ambientais (setting) na determinação da qualidade das experiências de usuários de drogas.



Palavras-chave


drogas psicodélicas; redução de danos; políticas de drogas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18315/argumentum.v7i1.9053

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons