LUTA ANTIMANICOMIAL, RACISMO E O AVANÇO DO CONSERVADORISMO EM TEMPOS “TEMEROSOS”

Tales Willyan Fornazier Moreira, Rachel Gouveia Passos

Resumo


O presente artigo apresenta elementos que localizam o racismo no atual contexto de avanço do conservadorismo e de crise estrutural do capital na realidade brasileira, evidenciando, a partir de dados concretos, que a população negra encontra-se no ranking dos mais preocupantes indicadores sociais no que tange, sobremaneira, questões de renda; violências, nas suas mais multifacetadas formas, e escolaridade. Nesse sentido, discute acerca de como as desigualdades étnico-raciais encontram-se estruturadas na sociabilidade brasileira. Por fim, realiza uma aproximação entre a Luta Antimanicomial e a questão racial, apontando os desdobramentos do conservadorismo na saúde mental e seus reflexos para a população negra.


Palavras-chave


Luta Antimanicomial. Racismo. Conservadorismo. Retrocessos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARBEX, L. Holocausto Brasileiro. Editora Geração editorial, São Paulo, 2013.

BARROCO, M. L. S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Revista Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 106, p. 205-218, abr./jun., 2011.

BASAGLIA, F. Escritos selecionados em saúde mental e reforma psiquiátrica. Editora Garamond, Rio de Janeiro, 2005.

BEHRING, E. Políticas sociais: seus fundamentos lógicos e suas circunstâncias históricas. In: Garcia, Carla Cristina; Húngaro, Edson Marcelo; Luciano Galvão Damasceno (orgs). Estado, política e emancipação humana: lazer, educação, esporte e saúde como direitos sociais. Santo André, São Paulo: Alpharrabio, 2008.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). População negra é a maior beneficiária de programas sociais no Brasil. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2013. Disponível em: < http://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2013/dezembro/populacao-negra-e-a-maior-beneficiaria-de-programas-sociais-no-brasil>. Acesso em: 12 jan. 2018.

______. Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Pobreza entre negros caiu 86% em 11 anos. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social; 2015. Disponível em: http://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2015/maio/pobreza-entre-negros-caiu-86-em-11-anos. Acesso em: 12 jan. 2018.

BRAZ, M. O golpe das ilusões democráticas e a ascensão do conservadorismo reacionário. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 128, p. 85-103, jan./abr., 2017.

CAPUTI, L.; FORNAZIER MOREIRA, T. W. Os impactos das contrarreformas na formação e exercício profissional em Serviço Social. Revista Conexão Geraes, Belo Horizonte, Minas Gerais, n. 9, p. 22-27, 2017.

CARTA DE BAURU. Encontro Nacional “20 anos de luta por uma sociedade sem manicômios”. Bauru, 2007. Disponível em: http://www2.pol.org.br/lutaantimanicomial/index.cfm?pagina=carta_de_bauru. Acessado em 15/01/2018.

CARTA DE BAURU. Encontro de Bauru “30 anos de Luta por uma sociedade sem manicômios”. Bauru, 2017. Disponível em: http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2017/12/CARTA-DE-BAURU-30-ANOS.pdf. Acessado em 15/01/2018.

CARTA CAPITAL. Seis estatísticas que mostram o abismo racial no Brasil. Disponível em: < https://www.cartacapital.com.br/sociedade/seis-estatisticas-que-mostram-o-abismo-racial-no-brasil>. Acesso em: 13 jan. 2018.

COMBATE AO RACISMO AMBIENTAL. Angela Davis: Construindo o futuro da luta contra o racismo. Disponível em: < https://racismoambiental.net.br/2017/07/28/angela-davis-construindo-o-futuro-da-luta-contra-o-racismo/>. Acesso em: 15 jan. 2018.

DEMIER, F. Depois do Golpe: a dialética da democracia blindada no Brasil. Mauad X: Rio de Janeiro, 2017.

EBC. Agência Brasil. Educação reforça desigualdades entre brancos e negros, diz estudo. Brasília, 2016. Disponível em: < http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-11/educacao-reforca-desigualdades-entre-brancos-e-negros-diz-estudo>. Acesso em: 14 jan. 2018.

FERNANDES, F. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Editora Globo, 2008.

IPEA. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Atlas da violência. Brasília: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, 2017.

IBGE. Agência de Notícias. Pretos ou pardos são 63,7% dos desocupados. Brasília, 2017. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/18013-pretos-ou-pardos-sao-63-7-dos-desocupados.html>. Acesso em 14 jan. 2018.

MESZÁROS, I. A crise estrutural do capital. São Paulo: Boitempo, 2009.

MOURA, C. Escravismo, colonialismo, imperialismo e racismo. Revista Afro-Ásia, Bahia, n.14, p. 124-137, 1983.

NOGUEIRA, F. Governo Temer como restauração colonialista. Le Monde Diplomatique, ano 10, nº 114, p. 4-5, jan., 2017.

OLIVEIRA, I.M.; DUARTE, M.J.O.; PITTA, A.M.F. Racismo, sofrimento e saúde mental: um debate necessário. In: OLIVEIRA, W.; PITTA, A.; AMARANTE, P. Direitos Humanos & Saúde Mental, São Paulo: Hucitec, 2017.

PASSOS, R.G. “De escravas a cuidadoras”: invisibilidade e subalternidade das mulheres negras na política de saúde mental brasileira. Revista O Social em Questão, Rio de Janeiro, n. 38, mai./ago., 2017.

PEREIRA, M. O., AMARANTE, P. Mulheres, Loucura e Patologização: desafios para a Reforma Psiquiátrica e a Luta Antimanicomial. In: PASSOS, R. G.; COSTA, R., SILVA; F. G. Saúde Mental e os desafios atuais da atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Gramma, 2017.

PEREIRA, M.O., PASSOS, R.G. Desafios Contemporâneos na Luta Antimanicomial: comunidades terapêuticas, gênero e sexualidade. In: PEREIRA, M.O., PASSOS, R.G. Luta Antimanicomial e Feminismos: discussões de gênero, raça e classe para a Reforma Psiquiátrica Brasileira. Editora Autografia: Rio de Janeiro, 2017.

SOUZA, J. M. A. O conservadorismo moderno: esboço para uma aproximação. Revista Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 122, p. 199-223, jun., 2015.




DOI: https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p178-192

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/