Repressão estatal e controle da pobreza no Brasil contemporâneo

Autores

  • Nathália de Lourdes Fernandes Correia Universidade Federal de Alagoas
  • Reivan Marinho de Souza Universidade Federal de Alagoas https://orcid.org/0000-0002-3919-9454

DOI:

https://doi.org/10.47456/argumentum.v12i3.31271

Resumo

Este artigo propõe-se a desvelar as determinações econômico-sociais que têm conduzido ao aprofundamento da repressão do Estado em direção à pobreza no Brasil. O Estado mantém uma indissociável relação com a economia e, para cumprir historicamente sua função social, pode intervir de forma repressiva ou coerciva. Verifica-se na atualidade, com a crise estrutural, conforme validado por dados empíricos, que o aumento da ação repressiva do Estado no Brasil revela o encarceramento em massa, o surgimento de novas medidas coercitivas e o aumento de mortes por intervenção policial, como consequência das transformações societárias, do desemprego crônico e da pobreza.

Palavras-chave: Repressão Estatal. Capitalismo. Pobreza. Crise estrutural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália de Lourdes Fernandes Correia, Universidade Federal de Alagoas

Assistente Social. Mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação/ PPGSS da Faculdade de Serviço Social, Universidade Federal de Alagoas. (UFAL) Campus A. C. Simões - Av. Lourival Melo Mota, S/N, Tabuleiro do Martins, Maceió (AL), CEP: 57072-970.  

Downloads

Publicado

2020-12-24

Como Citar

Fernandes Correia, N. de L., & Marinho de Souza, R. . (2020). Repressão estatal e controle da pobreza no Brasil contemporâneo. Argumentum, 12(3), 43–57. https://doi.org/10.47456/argumentum.v12i3.31271