A Marcha do Velho Novo: sobre as determinações do fascismo ontem e hoje

Autores

  • Eduardo Mara Centro Universitário Joaquim Nabuco (UNINABUCO)

DOI:

https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i2.34187

Resumo

O termo neofascismo vem sendo utilizado para classificar tanto o governo Bolsonaro quanto vertentes do pensamento reacionário atual. Este artigo se propõe a um resgate do debate teórico entre marxistas acerca do fascismo como forma de extrair critérios gerais de interpretação relevantes ao presente. Apresentamos ao leitor três teses em relação ao fascismo histórico: ao fascismo precede uma particular crise de hegemonia da sociedade burguesa; o fascismo se caracteriza por possuir uma base de massas constituída, fundamentalmente, pela pequena burguesia; o fascismo serve aos interesses do grande capital monopolista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Mara, Centro Universitário Joaquim Nabuco (UNINABUCO)

Cientista Social. Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Doutor em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco. Docente do curso de Serviço Social do Centro Universitário Joaquim Nabuco (UNINABUCO).

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Mara, E. (2021). A Marcha do Velho Novo: sobre as determinações do fascismo ontem e hoje. Argumentum, 13(2), 51–63. https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i2.34187