A economia geográfica de Paul Krugman e suas consequências para a teoria do desenvolvimento regional: uma avaliação crítica/ PauL Krugman’s Geographical economics and its implications for regional development theor: a critical assessment

Autores

  • Ron Martin, Peter Sunley Universidade de Cambridge

DOI:

https://doi.org/10.7147/GEO23.17133

Resumo

RESUMO

Os economistas, ao que parece, estão descobrindo a geografia. Ao longo da última década, surgiram uma "nova teoria do comércio" e uma "nova economia da vantagem concorrencial" que, entre outras coisas, atribuem uma importância fundamental ao papel que a geografia interna de uma nação pode desempenhar na determinação do desempenho comercial das indústrias dessa nação. O trabalho de Paul Krugman, em particular, tem sido muito influente na promoção desta visão. De acordo com Krugman, num mundo de concorrência imperfeita, o comércio internacional é impulsionado tanto pelos rendimentos crescentes e pelas economias externas, como pela vantagem comparativa. Além disso, essas economias externas são mais propensas a serem realizadas na escala local e regional do que no nível nacional ou internacional. Para entender o comércio, portanto, Krugman argumenta que é necessário entender os processos que conduzem à concentração de produção local e regional. Para este fim, ele se baseia em uma variedade de ideias geográficas, que vão desde as economias de aglomeração Marshallianas, passando pela teoria tradicional da localização, até as noções de causalidade cumulativa e especialização regional. Nosso objetivo neste trabalho é fornecer uma avaliação crítica da "economia geográfica" de Krugman e suas implicações para a geografia econômica contemporânea. Seu trabalho levanta algumas questões importantes para a teoria do desenvolvimento regional em geral e para a nova geografia industrial em particular. Mas, ao mesmo tempo, sua teoria também possui limitações significativas. Argumentamos que, embora uma troca de ideias entre sua teoria e o trabalho recente na geografia industrial sejam mutuamente benéficas, ambas as abordagens são limitadas pelo tratamento que dão às externalidades tecnológicas e pelo legado da economia neoclássica ortodoxa.

ABSTRACT

 

Economists, it seems, are discovering geography. Over the past decade, a "new trade theory" and "new economics of competitive advantage" have emerged which, among other things, assign a key importance to the role that the internal geography of a nation may play in determining the trading performance of that nation's industries. Paul Krugman's work, in particular, has been very influential in promoting this view. According to Krugman, in a world of imperfect competition, international trade is driven as much by increasing returns and external economies as by comparative advantage. Furthermore, these external economies are more likely to be realized at the local and regional scale than at the national or international level. To understand trade, therefore, Krugman argues that it is necessary to understand the processes leading to the local and regional concentration of production. To this end he draws on a range of geographical ideas, from Marshallian agglomeration economies, through traditional location theory, to notions of cumulative causation and regional specialization. Our purpose in this paper is to provide a critical assessment of Krugman's "geographical economics" and its implications for contemporary economic geography. His work raises some significant issues for regional development theory in general and the new industrial geography in particular. But at the same time his theory also has significant limitations. We argue that while an exchange of ideas between his theory and recent work in industrial geography would be mutually beneficial, both approaches are limited by their treatment of technological externalities and the legacy of orthodox neoclassical economics. 

KEY WORDS: Krugman, trade, external economies, regional industrial concentration, regional industrial policy.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-11

Como Citar

PETER SUNLEY, R. M. A economia geográfica de Paul Krugman e suas consequências para a teoria do desenvolvimento regional: uma avaliação crítica/ PauL Krugman’s Geographical economics and its implications for regional development theor: a critical assessment. Geografares, [S. l.], n. 23, p. 5–35, 2017. DOI: 10.7147/GEO23.17133. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/17133. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Traduções