Noites brancas – O exército como regulador imediato da gestão da barbárie/White Nights - The Army as Immediate Controller of the Barbarism Management

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7147/GEO28.24391

Resumo

O autor defende que o protagonismo militar nas eleições de 2018, compondo o campo ativado pela “nova-direita”, tem como pano de fundo uma adequação às necessidades em curso das guerras de ordenamento mundial, como modos atualizados da gestão da crise do capital agravada desde 2008. O propalado protagonismo do Exército não é o início do estado de exceção, mas tão somente um momento de aprofundamento que tenderá a continuar no próximo período. 

Palavras-chave: estado de exceção; guerras de ordenamento mundial; gestão da barbárie

 

ABSTRACT

The author argues that the military protagonism in the 2018 elections, composing the field activated by the “new right”, has as a background an adaptation to the underway needs of the world order wars as updated modes of managing the capital crisis aggravated since 2008. The proclaimed leadership of the Army is not the beginning of the state of exception, but only a moment of its deepening that will tend to continue in the next period.

Keywords: state of exception; wars of world order; barbarism management

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marildo Menegat, Universidade federal do Rio de Janeiro

Professor Associado do Núcleo de Estudos em Política Públicas de Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Downloads

Publicado

2019-04-25

Como Citar

MENEGAT, M. Noites brancas – O exército como regulador imediato da gestão da barbárie/White Nights - The Army as Immediate Controller of the Barbarism Management. Geografares, [S. l.], n. 28, p. 170–181, 2019. DOI: 10.7147/GEO28.24391. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/24391. Acesso em: 22 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos