(DES)ENCONTROS: OS SERTÕES (1902), DE EUCLIDES DA CUNHA, E A POLÍTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL (PNDR) DE 2003

Autores

  • Robinson Santos Pinheiro Universidade Federal de Goiás - IESA

DOI:

https://doi.org/10.7147/GEO30.28010

Palavras-chave:

Geografia e Literatura, PNDR, modernização do território brasileiro.

Resumo

Objetiva-se averiguar em que medida o imaginário sobre o Estado brasileiro presente no romance Os Sertões, de Euclides da Cunha, pode contribuir com a interpretação do discurso espacial presente na Política Nacional de Desenvolvimento Regional. A leitura do texto euclidiano “direcionou” a discussão sobre o papel do Estado brasileiro frente a dois pontos centrais: a integração do território nacional e a modernização dos costumes como das lógicas produtivas. O resultado dos (des)encontros é que o pensamento euclidiano, em Os Sertões, desde que respeitadas as singularidades históricas, permanece atual no documento da PNDR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robinson Santos Pinheiro, Universidade Federal de Goiás - IESA

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Goiás - IESA; membro do grupo de pesquisa LABOTER - Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais.

Downloads

Publicado

2020-07-08

Como Citar

PINHEIRO, R. S. (DES)ENCONTROS: OS SERTÕES (1902), DE EUCLIDES DA CUNHA, E A POLÍTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL (PNDR) DE 2003. Geografares, [S. l.], v. 1, n. 30, p. 55–68, 2020. DOI: 10.7147/GEO30.28010. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/28010. Acesso em: 30 nov. 2021.