Novas expressões de centralidades urbanas e a diferenciação socioespacial: um olhar através das práticas espaciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v1i33.35452

Palavras-chave:

Reestruturação das cidades, multicentralidade/policentralidade, mobilidade urbana, cidades médias

Resumo

As cidades contemporâneas têm sido perpassadas pela emergência de novas áreas de concentração de comércios e serviços e pela densidade de fluxos em direção a essas áreas, o que caracteriza o surgimento de novas expressões de centralidades. O objetivo deste artigo é analisar a diferenciação socioespacial nos usos e apropriação em centros urbanos por parte de sujeitos que residem em habitats voltados à classe média e elite. Duas cidades médias localizadas no estado de São Paulo são objetos da empiria: Ribeirão Preto e Presidente Prudente. A emergência de novas centralidades é analisada por meio da distribuição das atividades de comércios e serviços, aliada à reestruturação das cidades em curso. A frequentação, as preferências e motivações pela realização de práticas espaciais em determinadas áreas centrais, lidas através de entrevistas qualitativas, clarificam o entendimento sobre as segmentações e diferenciações que caracterizam a produção de centralidades no contexto da urbanização contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Késia Anastácio Alves da Silva, Universidade Estadual Paulista

Geógrafa de formação, com bacharelado e licenciatura. Possui mestrado e doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas. No decorrer da pós-graduação realizou trabalhos na área de mobilidade espacial da população e suas relações com o processo de metropolização do espaço. No âmbito de suas produções se destacam a produção de um Atlas sobre as diversidades socioespaciais da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, além da produção de três capítulos no livro Dinâmica Demográfica e Socioespacial no Brasil Metropolitano. Foi pesquisadora Junior do Centro de Estudos da Metrópole (CEM-CEBRAP). Atualmente realiza um pós-doutoramento no Grupo de Pesquisa Produção do Espaço e Redefinições Regionais (GAsPER) no projeto temático Fragmentação socioespacial e urbanização brasileira: Escalas, vetores, ritmos e formas (FragUrb). Tem experiência nas áreas de estudos populacionais com ênfase em Distribuição Espacial da População, urbanização, migração interna e metropolização do espaço. 

Vanessa Moura de Lacerda Teixeira, Universidade Estadual Paulista

Doutora em Geografia e Planejamento pela Université Jean-Moulin Lyon 3 (2016), possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004), mestrado em Estudos Urbanos em Regiões Mediterrâneas - EURMed, Université Aix-Marseille III e Universidade Técnica de Lisboa (2010) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (2006). Tem experiência no ordenamento ambiental e territorial, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente e cidade, paisagem, sustentabilidade urbana e ambiental, planejamento urbano e regional. Exerceu diversas atividades de ensino e pesquisa no Brasil e na França associadas aos temas relacionados. Realizou pesquisas individualmente sobre a Região dos Lagos contando com o apoio científico do Laboratório Environnement, Ville et Société (EVS) da Unidade Mista de Pesquisa UMR 5600 da Université de Lyon para participação em eventos acadêmicos e publicação de artigos. Lecionou disciplina de Sistema de Informação Geográfica - SIG (QGIS), módulos de Arquitetura, Urbanismo, Desenvolvimento e Habitat em escolas técnicas na cidade de Lyon para candidatos ao Brevet Technicien Supérieur. Atualmente realiza pós-doutorado na Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente/FCT/UNESP, Gasperr/Redes de Cidades Médias RECIME, no projeto FragUrb: "Fragmentação socioespacial e urbanização brasileira: escalas, vetores, ritmos e formas. A pesquisa versa sobre "Cidades médias, centro e centralidade e suas implicações na lógica socioespacial fragmentária em diferentes formações socioespaciais: Maringá, Dourados, Ituiutaba, Mossoró e Presidente Prudente. 

Eliseu Savério Sposito, Universidade Estadual Paulista

Graduação em Geografia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Presidente Prudente (1974), Mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (1983) e doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (1990). Livre Docência pela Universidade Estadual Paulista, campus de Presidente Prudente (2000). Pós-doutorado na Université de Paris I - Sorbonne-Panthéon (1994-1996). Credenciado no Programa de pós-graduação da Universidade Estadual Paulista (nota 7 CAPES). Professor Ttitular (2007), aposentado da Universidade Estadual Paulista. Professor visitante na Universidade Federal de Uberlândia, Campus do Pontal, Ituiutaba. Professor visitante - Universidad de Salamanca, Universidad Nacional de San Juan, Universidade Estadual do Ceará. Membro do corpo editorial de inúmeros periódicos científicos no Brasil e no exterior. Editor-chefe da Revista Formação (do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UNESP/FCT - 2017-2020). Coordenador da área de Geografia na FAPESP (desde 2013). Foi coordenador do GAsPERR (Grupo de Pesquisa Produção do Espaço e Redefinições Regionais (1993-2017). Membro da ReCiMe (Rede de Pesquisadores sobre Cidades Médias (desde 2006). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana e Econômica, atuando principalmente nos seguintes temas: território, industrialização, pensamento geográfico, dinâmica econômica, produção do espaço e cidades médias. 

Referências

ABRAMO, Pedro. A cidade caleidoscópica: coordenação espacial e convenção urbana: uma perspectiva heterodoxa para a economia urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

BOGUS, Lucia; PASTERNAK, Suzana. Continuidades e Descontinuidades na Cidade dos Anéis. 27º Encontro Anual da Anpocs. Caxambu, 2003.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2007.

CALDEIRA, Teresa. Cidade de Muros: Crime, Segregação e Cidadania em São Paulo. São Paulo: Editora 34/Edusp, 2000.

CALIL Jr., Ozório; FELDMAN, Sarah. O centro de Ribeirão Preto: os processos de expansão e setorização. (Dissertação de Mestrado) USP, São Carlos, 2003.

CARLOS, Ana F. A. Diferenciação Socioespacial. In: Cidades, v. 4 n. 6, p. 45-60. 2007.

CATALÃO, Igor F. Diferença, dispersão e fragmentação socioespacial: explorações metropolitanas em Brasília e Curitiba. Tese (doutorado) - Unesp. 190p, 2013.

CHOAY, F.; MERLIN, P. Dictionnaire de L'Urbanisme et de L'Amenagement. Paris: PUF, 1996.

ELIAS, D. Globalização e Agricultura: a Região de Ribeirão Preto. São Paulo: EDUSP, 2003.

DE MATTOS, Carlos A. Santiago de Chile de cara a la globalización: ¿otra ciudad? Curitiba. Revista de Sociologia e Política, 2002.

FIX, Mariana. São Paulo cidade global: fundamentos financeiros de uma miragem. São Paulo: Boitempo, 2007

FRÚGOLI Jr., Heitor. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Cortez; Edusp, 2000.

HARVEY, David. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo, SP: Boitempo, 2001.

LEFEBVRE, Henri. The production of space. Oxford, UK: Blackwell, 454p;1994.

LEFEBVRE, Henry. A Revolução Urbana. Tradução de Sérgio Martins. Belo Horizonte: UFMG, 1999 [1970].

LENCIONI, Sandra. Concentração e centralização das atividades urbanas: uma perspectiva multiescalar. Reflexões a partir do caso de São Paulo. Rev. geogr. Norte Grande, Santiago, n. 39, p. 7-20, mayo 2008.

LIMONAD, Ester. COSTA, Heloisa. S. M. Cidades excêntricas ou novas periferias? Cidades, Presidente Prudente, v. 12, n. 21, p. 278-305, 2015.

LOGAN, J.; MOLOTCH, H. Urban Fortunes: the political economy of place. Los Angeles: University of California Press, 2007.

MAIA, Doralice S.; SILVA, William R.; WHITACKER, Arthur M. Centro e Centralidade em Cidades Médias. 1. ed. São Paulo: Cultura Acadêmica, v. 1. 285p; 2017.

MARQUES, Eduardo, C. L. A metrópole de São Paulo no século XXI: espaços, heterogeneidades e desigualdades. São Paulo: Editora Unesp/CEM, 2015.

MONCLÚS, Javier. La ciudad dispersa. Barcelona: Centre de Cultura Contemporània de Barcelona, 1998.

NASCIMENTO, Rose M. do. O subcentro do Conjunto Habitacional Bartolomeu Bueno de Miranda (COHAB). In: MELAZZO, Everaldo Santos e GUIMARÃES, Raul Borges (org.). Conjuntura Prudente. Presidente Prudente/SP, (GAsPERR). p. 59 – 62; 2002.

SEABRA, Odete. C. L. A insurreição do uso. In: MARTINSM, J. S. (Org.). Henri Lefebvre e o retorno à dialética. São Paulo: Hucitec, 1996. p. 71-86.

OTERO, Estevam, V. Reestruturação Urbana em Cidades Médias Paulistas a cidade como negócio (tese de doutorado). p. 343, 2016.

OUESLATI-HAMMAMI. Les centralités dugrand Tunis: acteurs, représentations et pratiques urbaines. Géographie. Université Toulousele Mirail - Toulouse II, Français, 2010.

PORTO-SALES, A. Leandra; COUTO, Edna M.; WHITACKER, Arthur M.; SPOSITO, Maria. E. B.; REDÓN, Sergio M.; MIYASAKI, Vitor. Pesquisa em Geografia Urbana: Desafios e possibilidades de análise espacial com o uso do Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos (CNEFE). Caderno Prudentino de Geografia, v. 2, p. 81-103, 2015.

POZZO, C. Fragmentação socioespacial em cidades médias paulistas. Tese (doutorado) - UNESP, 2015.

SALGUEIRO, Teresa. B. Do Centro às centralidades múltiplas. Novos tempos, espaços e perspectivas. In: FERNANDES, J.R. & SPOSITO, M.E.B. (Org.). A nova vida do velho centro nas cidades portuguesas e brasileiras. Ed. CEGOT, v. 1, p. 45-59; Porto, 2013.

SANTOS, Milton. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia, n. 54, p. 81-99, 1977.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: HUCITEC, 1994.

SANTOS, M. A natureza do espaço – Técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, Danilo B. O papel da COHAB-RP na produção do espaço urbano em Ribeirão Preto (SP). Dissertação (Mestrado em Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo) - Instituto de Arquitetura e Urbanismo, USP, São Carlos, 2017

SPOSITO, Maria. E. B. Estruturação urbana e centralidade. In: Encuentro de geógrafos de América Latina, 3, Anais. Toluca/méxico. v. 1. p. 44-55, 1991.

SPOSITO, Maria. E. B. Cidades médias: reestruturação das cidades e reestruturação urbana. In: Maria Encarnação Beltrão Sposito. (Org.). Cidades médias: espaços em transição. São Paulo: Expressão Popular, v. 1, p. 233-253, 2007.

SPOSITO, Maria. E. B. Novas redes urbanas: cidades médias e pequenas no processo de globalização. Revista de Geografia (São Paulo), v. 35, p. 51-62, 2010.

SPOSITO, Maria. E. B. Centros e centralidades. In: FERNANDES, José Alberto R.; SPOSITO, M. Encarnação B. (Org.). A nova vida do velho centro nas cidades portuguesas e brasileiras. 1ed.Porto: CEGOT, v. 1, p. 45-59, 2013.

SPOSITO, Maria. E. B.; GÓES, Eda M. Espaços fechados e cidades: insegurança urbana e fragmentação socioespacial. São Paulo: Editora UNESP, 2013.

SPOSITO, Maria E. B. Oportunidades e desafios da pesquisa urbana comparada. In: FIRKOWSKI, Olga et al. (Org.). Estudos urbanos comparados: oportunidades e desafios da pesquisa urbana comparada. San Miguel de Tucumán: Universidad Nacional de Tucumán, p. 25-60, 2016.

SPOSITO, M. E. B.; SPOSITO, E. S. Articulação entre múltiplas escalas geográficas: lógicas e estratégias espaciais de empresas. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 21, n. 2, p. 462-479, 2017.

ZAMBONI, Débora, P. A territorialidade do capital: da fazenda ao condomínio, desenhando a cidade. Tese de Doutorado. UFABC. 2018.´

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

ANASTÁCIO ALVES DA SILVA, K.; MOURA DE LACERDA TEIXEIRA, V.; SAVÉRIO SPOSITO, E. Novas expressões de centralidades urbanas e a diferenciação socioespacial: um olhar através das práticas espaciais. Geografares, [S. l.], v. 1, n. 33, p. 113–139, 2021. DOI: 10.47456/geo.v1i33.35452. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/35452. Acesso em: 2 jul. 2022.