A PRODUÇÃO E A VALORIZAÇÃO DESIGUAL DO ESPAÇO URBANO EM CAMPOS DOS GOYTACAZES-RJ: UMA ANÁLISE DAS AÇÕES DO ESTADO E DOS PROMOTORES/INCORPORADORES IMOBILIÁRIOS

Autores

  • Marcos Antônio Silvestre Gomes Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.7147/GEO19.8987

Resumo

Este artigo discute alguns aspectos da produção do espaço urbano considerando as ações de agentes sociais específicos. A partir de pesquisas bibliográficas, levantamentos de dados e entrevistas em órgãos públicos e privados, observações de campo e mapeamentos da área urbana, apresenta-se uma análise da atuação do Estado e dos promotores/incorporadores imobiliários na produção e valorização desigual do espaço urbano em Campos dos Goytacazes-RJ. Os resultados do trabalho apontam a intensificação e complexificação das ações desses agentes com o advento da economia petrolífera. No período 1981-2011 houve uma intensa valorização do eixo Sudoeste-Leste da cidade, destacando-se um vertiginoso processo de verticalização e implantação de loteamentos fechados de alto padrão, o que tem contribuído para um aumento significativo no preço do solo urbano, em detrimento de outras parcelas da cidade. Ocorreu também um alargamento da distância entre os preços praticados em áreas consideradas de maior interesse imobiliário e aquelas habitadas ou destinadas à população de menor poder aquisitivo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Silvestre Gomes, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Professor Adjunto do Departamento de Geografia da UFTM e Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFF/Campos dos Goytacazes.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2015-07-20

Como Citar

GOMES, M. A. S. A PRODUÇÃO E A VALORIZAÇÃO DESIGUAL DO ESPAÇO URBANO EM CAMPOS DOS GOYTACAZES-RJ: UMA ANÁLISE DAS AÇÕES DO ESTADO E DOS PROMOTORES/INCORPORADORES IMOBILIÁRIOS. Geografares, [S. l.], n. 19, p. 28–41, 2015. DOI: 10.7147/GEO19.8987. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/8987. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos