“SOU SURDA, MAS...”: CONSTRUÇÃO DISCURSIVA E INSCRIÇÃO DO SUJEITO SURDO NA ESCRITA DE SI.

Autores

  • Miriam Ramos dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Estado da Bahia
  • Sandro Braga Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Neste artigo, analisamos a inscrição e a construção discursiva do sujeito surdo na escrita autobiográfica em língua portuguesa, tendo como corpus a obra A verdadeira beleza: uma história de superação, de Vanessa Vidal.  A análise pauta-se pela vertente teórica da Análise do Discurso, sobretudo pelos postulados de Pêcheux e Orlandi, além de estabelecer diálogos com o aporte teórico dos estudos culturais, a partir de Hall, e dos estudos surdos, discutidos por Quadros, Perlin e Stumpf.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriam Ramos dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Estado da Bahia

Professora Assistente do Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias, Campus XXI da Universidade do Estado da Bahia - UNEB;

Doutoranda em Linguística na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Sandro Braga, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor do Departamento de Língua e Literatura Vernácula e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2018-07-15

Como Citar

SANTOS, M. R. dos; BRAGA, S. “SOU SURDA, MAS...”: CONSTRUÇÃO DISCURSIVA E INSCRIÇÃO DO SUJEITO SURDO NA ESCRITA DE SI. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 8, n. 18, p. 185–200, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/19163. Acesso em: 6 dez. 2021.