Tradução Audiovisual E O Direito À Cultura: O Caso Da Comunidade Surda

Autores

Resumo

Este artigo possui como objetivo discutir a tradução audiovisual da língua de sinais (TALS) como direito social e linguístico da comunidade surda. Para tanto, analisa-se como o tema aparece em duas esferas: (i) a acadêmico-científica, verificando o (não) lugar das línguas de sinais no campo da Tradução Audiovisual (TAV) nos Estudos da Tradução; e (ii) na legislativa, a partir da análise dos documentos legais no contexto brasileiro que determinam a inserção das “janelas de Libras” em, apenas, algumas produções audiovisuais. A análise mostra que os Estudos da TAV não conseguiram acompanhar a velocidade da ampliação dos direitos sociais das comunidades surdas e nem da presença de sua língua nos diferentes contextos sociais. Mostra, também, a necessidade de olhar para a TALS como ampliação das possibilidades de consumo das produções audiovisuais no Brasil.  Espera-se, com isso, dar início ao debate sobre a importância da TALS, sua prática, pesquisa e a real inclusão da comunidade surda no contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Nascimento, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Doutor em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-SP). Professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordenador do Laboratório de Tradução Audiovisual da Língua de Sinais (LATRAVILIS). Pesquisador com Auxílio Regular à Pesquisa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP – Processo: 2017/21970-9).

Tiago Coimbra Nogueira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestre em Estudos da Tradução (UFSC) e Bacharel em Letras Libras (UFSC). Professor do Departamento de Línguas Modernas do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisador do Grupo de Pesquisa COMacesso (CNPq/UFRGS).

Downloads

Publicado

18-08-2019

Como Citar

NASCIMENTO, Vinicius; NOGUEIRA, Tiago Coimbra. Tradução Audiovisual E O Direito À Cultura: O Caso Da Comunidade Surda. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 9, n. 21, p. 105–132, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/23740. Acesso em: 20 jul. 2024.