NÓS E A GENTE NA CIDADE DE VITÓRIA: ANÁLISE DA FALA CAPIXABA

Autores

  • Alexandre Kronemberger de Mendonça

Resumo

O presente artigo visa ao estudo da alternância nós\a gente na fala dos moradores de Vitória. Utilizamos para esta pesquisa 40 células do PORTVIX – UFES. A análise se procederá à luz da Teoria Sociolinguísta, de W. Labov, que considera a língua em uso e contempla variáveis sociais, no nosso caso, idade, sexo/gênero e grau de escolaridade do falante; e variáveis lingüísticas, no nosso caso, paralelismo formal; variante implícita ou explícita; referencialidade das formas nós e a gente; posição sintática, tempo e modo verbais. O presente estudo mostra que o processo de mudança lingüística em Vitória se revela bastante acentuado. Fazemos um comparativo com os seguintes estudos de fala: Rio de Janeiro (Omena, 1996 e 2003); João Pessoa (Fernandes, 1996); Florianópolis (Seara, 2000); Jaguarão e Pelotas (Borges, 2004) e Porto Alegre (Zilles, 2007).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2012-07-31

Como Citar

DE MENDONÇA, A. K. NÓS E A GENTE NA CIDADE DE VITÓRIA: ANÁLISE DA FALA CAPIXABA. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 2, n. 4, p. 1–18, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/3173. Acesso em: 18 jan. 2022.