REFLEXÃO DA TRADUÇÃO SOB A PERSPECTIVA DA RETEXTUALIZAÇÃO

Autores

  • Mayelli Castro

Resumo

Este artigo tem como objetivo geral fazer uma reflexão do ato tradutório considerado como “Retextualização” baseada na hipótese defendida por Neuza Gonçalves Travaglia (2003). Pretendemos discutir a atividade de traduzir enquanto (re)produção textual, ou seja, produção de um novo/mesmo texto que originou-se de uma língua diferente; analisar as fases do processo de produção textual, mais especificamente em relação às operações realizadas na produção de um texto original, isto é, a partir da construção de sentidos; reconhecer e examinar os fatores de textualidade que contribuíram para o processo de tradução e também os fatores lingüísticos e extralingüísticos. Trata-se de uma análise textual, com suas fases de produção e, consequentemente, de co-produção. Procurou-se a abordagem de textos com finalidades didáticas. O gênero textual é a charge, assim, o corpus a ser analisado é uma questão de vestibular da UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense – RJ). Na questão há três charges seguidas de suas respectivas traduções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2012-07-31

Como Citar

CASTRO, M. REFLEXÃO DA TRADUÇÃO SOB A PERSPECTIVA DA RETEXTUALIZAÇÃO. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 2, n. 4, p. 116–135, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/3177. Acesso em: 18 jan. 2022.