NEOLOGISMOS EM UMA PERSPECTIVA SOCIOLINGUÍSTICA

Autores

Resumo

No presente trabalho, analisamos a relação entre neologismos, gênero e perfil ideológico dos falantes. Utilizamos um corpus de 1000 neologismos coletados entre fevereiro e maio de 2014 no Portal GGN e classificamos segundo os padrões de formação. Verificamos que o tipo preferencial de neologismo varia segundo gênero e perfil ideológico dos falantes: os falantes do gênero masculino preferem derivação sufixal e os do feminino preferem palavra-valise de forma geral; em relação ao perfil ideológico, a derivação sufixal é a mais frequente em ambos os perfis, mas o segundo tipo mais frequente é a composição subordinativa para o perfil de direita e palavra-valise para o de esquerda de forma geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

César Nardelli Cambraia, Universidade Federal de Minas Gerais

possui graduação em Letras (Português-Alemão) pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), mestrado em Estudos Lingüísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996), doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2000) e pós-doutorado em Lingüística Românica pela Universitat de Barcelona (2010). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Minas Gerais e tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Lingüística Românica e Crítica Textual, atuando principalmente nos seguintes temas: estudo histórico e comparado de morfossintaxe de línguas românicas em uma perspectiva tipológico-funcional e edição de textos românicos antigos.

Silvana Cristina Romero, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduanda em Letras (Inglês), com conclusão prevista para dezembro de 2014; pesquisadora voluntária em Iniciação Científica na área de Lingüística, com ênfase em Sociolingüística.

Downloads

Publicado

2015-08-26

Como Citar

CAMBRAIA, C. N.; ROMERO, S. C. NEOLOGISMOS EM UMA PERSPECTIVA SOCIOLINGUÍSTICA. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 74–91, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/8462. Acesso em: 8 dez. 2021.