Perfil epidemiológico e mortes por fratura de fêmur em idosos residentes no estado do Espírito Santo de 2010 a 2017

Autores

  • Josieli Mielke
  • Creuza Rachel Vicente Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.47456/rbps.v22i4.21767

Palavras-chave:

Fraturas do fêmur, Idoso, Morte, Acidentes por quedas

Resumo

Introdução: O envelhecimento populacional é um dos maiores desafios da saúde pública contemporânea, pois provoca acentuação das demandas sociais e econômicas. Com o aumento do número de idosos e a ocorrência de quedas nessa faixa etária, as fraturas de fêmur destacam-se entre as principais lesões traumáticas e causas de hospitalizações nesse grupo, necessitando de tratamento cirúrgico em muitos casos e podendo evoluir para o óbito com frequência. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico e de mortes por fratura de fêmur em idosos residentes no estado do Espírito Santo entre 2010 e 2017. Métodos: Estudo ecológico, utilizando dados secundários provenientes da base de dados do DATASUS. Resultados: Nesse período, a maioria dos 6.521 casos de fratura de fêmur em idosos ocorreu no sexo feminino (66,7%), cor parda (39,0%), idade igual ou superior a 80 anos (50,7%), em caráter de urgência (82,5%), e em regime público (43,3%). Foram registradas 353 mortes. O coeficiente de letalidade foi de 7,8% para idade igual ou superior a 80 anos, 3,8% entre 70 e 79 anos, e 1,8% entre 60 e 69 anos. Conclusão: As fraturas de fêmur acometeram principalmente mulheres e apresentaram coeficiente de letalidade crescente com a elevação da idade. Essas informações devem ser levadas em consideração ao formular políticas de saúde pública e ações preventivas individuais ou em grupo para os idosos e seus familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14.06.2021

Como Citar

Mielke, J. ., & Vicente, C. R. (2021). Perfil epidemiológico e mortes por fratura de fêmur em idosos residentes no estado do Espírito Santo de 2010 a 2017. Revista Brasileira De Pesquisa Em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, 22(4), 32–37. https://doi.org/10.47456/rbps.v22i4.21767

Edição

Seção

Artigos Originais