Iniciação Científica na Universidade Federal do Espírito Santo: egressos e evolução

Autores

  • Alan Diniz Salazar
  • Antonio Rocha Neto
  • Ludmila Gonçalves Martins
  • Neyval Costa Reis Jr
  • Valdemar Lacerda Jr
  • Fábio Luiz Partelli

DOI:

https://doi.org/10.47456/rbps.v22i4.35453

Palavras-chave:

Iniciação Científica, Desempenho Acadêmico, olsa de Iniciação Científica, Pesquisa, Ufes

Resumo

Introdução: A iniciação científica visa incentivar a carreira científica dos estudantes de graduação, preparando-os para a pós-graduação e para uma melhor atuação profissional. Objetivos: Analisar o desempenho acadêmico (ingresso ou não de pós-graduação) de estudantes que fizeram a iniciação científica em relação aos estudantes que não participaram de nenhuma edição da iniciação científica. Métodos: Trata-se de um levantamento baseado no total de estudantes egressos da graduação, que participaram da iniciação cientifica na edição 2012/13 e uma amostra de conveniência de estudantes matriculados em 2013/1, que não realizaram iniciação cientifica na Ufes. Os estudantes foram separados em grupos e verificados quanto ao ingresso em cursos de pós-graduação. Os estudantes que participaram da iniciação científica foram separados em bolsistas e voluntários. Resultados: Os estudantes que participaram da iniciação científica se destacam quanto ao ingresso em cursos de pós-graduação quando comparados aos estudantes que não fizeram iniciação científica. Na coorte dos que realizaram a iniciação científica, os bolsistas apresentaram melhor percentual de ingresso em programas de mestrado e doutora/do (47,2% e 22,7%, respectivamente). Também se observa nos últimos anos, um crescimento do número de subprojetos aprovados. O crescimento ocorre em praticamente todas as Áreas do Conhecimento. A Área de maior número de subprojetos na atualidade é de Área de Ciências da Saúde. Conclusão: Os dados reforçam que ter bolsa de iniciação científica aumenta a chance de ingresso em programas de mestrado e doutorado, e que, o crescimento da iniciação científica impacta significativamente no crescimento da pós-graduação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14.06.2021

Como Citar

Diniz Salazar, A. ., Rocha Neto, A. ., Gonçalves Martins, L. ., Costa Reis Jr, N. ., Lacerda Jr, V., & Luiz Partelli, F. . (2021). Iniciação Científica na Universidade Federal do Espírito Santo: egressos e evolução. Revista Brasileira De Pesquisa Em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, 22(4), 8–14. https://doi.org/10.47456/rbps.v22i4.35453

Edição

Seção

Pesquisa e Gestão