Colonialidade discursiva na América Latina: o dito e o interdito na Carta de Pero Vaz de Caminha

Maurício Silva

Resumo


O presente artigo analisa a Carta de Pero Vaz de Caminha, inserindo-a no contexto da história brasileira e latino-americana, a partir do conceito de colonialidade. Utilizam-se, nas análises do texto de Caminha alguns princípios da Análise do Discurso (Maingueneau, Pêcheux), bem como o conceito de colonialidade (Mignolo, Quijano).


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista (Con) Textos Linguísticos


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.