Evolução da atenção em saúde bucal antes e após a política nacional de saúde bucal

  • Lorrayne Belotti
  • Katrini Guidolini Martinelli
  • Erica Marvila Garcia
  • Marcelle Lemos Leal Santos
  • Karina Tonini dos Santos Pacheco
  • Carolina Dutra Degli Esposti

Resumo

Introdução: A Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB), lançada em 2004, possui diretrizes que visam à qualificação da atenção em saúde bucal e o planejamento das ações de acordo com informações epidemiológicas de cada território. Objetivo: Analisar a evolução das ações de saúde bucal na Região Metropolitana da Grande Vitória, Espírito Santo (RMGV-ES), antes e após a PNSB. Métodos: Foi realizado um estudo ecológico, a partir de dados compilados do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA-SUS) no período de 1994 a 2014. Os procedimentos foram organizados em seis blocos. Foram calculados os seguintes indicadores: razão de procedimentos coletivos, razão de procedimentos ambulatoriais, cobertura da primeira consulta odontológica, e indicador de cobertura por Equipe de Saúde Bucal (ESB). Para relacionar os indicadores cobertura de equipe de saúde bucal com indicadores de cobertura de primeira consulta odontológica e razão de procedimentos coletivos e ambulatoriais nos anos de 2000 a 2014, realizou-se o Teste de Spearman. Resultados: Houve expansão na oferta dos procedimentos ambulatoriais (0,105 a 0,390 procedimentos/habitantes/ano) e coletivos (0,029 para 2,130 procedimentos/habitante/ano) nos 20 anos analisados. A relação entre a cobertura de ESB foi significante com indicador de cobertura de primeira consulta odontológica no município de Viana (r= -0,894; p-valor=0,041) e com indicador de procedimentos ambulatorais na RMGV-ES (r=0,688; p-valor=0,005). Conclusão: O aumento de ESB, após a política, não foi suficiente para atingir uma alta cobertura populacional. Os resultados sugerem que a prática odontológica ainda está pautada no atendimento clínico ambulatorial.

Publicado
2019-09-30
Edição
Seção
Artigo original