Os caminhos de João da Maia da Gama: práticas governativas, guerra e comércio na administração da capitania da Paraíba (1708-1717)

Autores

  • Isabela Augusta Carneiro Bezerra Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-2021320203

Palavras-chave:

Administração colonial., Capitania da Paraíba., Guerra dos Mascates.

Resumo

O capitão-mor e governador João da Maia da Gama comandou a capitania da Paraíba ao longo de nove anos (1708-1717). Durante sua gestão, João da Maia participou ativamente da administração colonial, concebendo planos e estratégias nos campos político, econômico e militar, inclusive, envolvendo-se na Guerra dos Mascates (1710-1711) em Pernambuco. O presente artigo pretende observar suas práticas governativas, perscrutar sua participação em atividades comerciais, analisar as tentativas de alargamento de sua própria jurisdição, as disputas jurisdicionais com outras autoridades coloniais e sua intervenção no conflito pernambucano. Os episódios discutidos evidenciam o protagonismo do governador no exercício de suas funções governativas, em meio a atitudes nem sempre condizentes com as diretrizes régias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes

ARQUIVO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA (AUC). Matrículas (1690-1692), v. 24.

ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO (AHU). Códice 21, Livro de registo de consultas mistas do Conselho Ultramarino (1713-1722).

____. Manuscritos Avulsos, Paraíba, Caixas 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 19.

____. Manuscritos Avulsos, Maranhão, Caixa 13.

____. Manuscritos Avulsos, São Paulo – Alfredo Mendes Gouveia, Caixa. 7.

ARQUIVO NACIONAL TORRE DO TOMBO (ANTT). Chancelaria de D. João V. Livro 62.

____. Registo Geral de Mercês. D. João V, Livros 3, 13 e 31.

DOCUMENTOS HISTÓRICOS DA BIBLIOTECA NACIONAL (DHBN), v. XXXIX e v. LXXXV.

Obras Gerais

ALENCASTRO, L. F. O trato dos viventes. A formação do Brasil no Atlântico Sul. 6 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ALVEAL, C. e DIAS, T. Por uma história das Capitanias do Norte: questões conceituais e historiográficas sobre uma região colonial no Brasil. História Unicap, v. 7, n. 13, jan./jun. de 2020, p. 10-32.

ALVEAL, C. M. O. Os desafios da governança e as relações de poder na capitania do Rio Grande na segunda metade do século XVII. In: MACEDO, H. A. M.; SANTOS, R. S. (Org.). Capitania do Rio Grande: histórias e colonização na América portuguesa. Natal: Editora da UFRN, 2013, p. 27-44.

BEZERRA, I. A. C. "A pouca e a má forma nas couzas da fazenda real": crise econômica e arrecadação na Capitania da Paraíba no Governo de João da Maia da Gama (1708-1717). Politeia: História E Sociedade, 19(2), p. 175-193, 2021.

BEZERRA, I. A. C. A serviço D´el-Rei: O governo de João da Maia da Gama na capitania da Paraíba (1708-1717). Dissertação (Mestrado em História). Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Universidade Federal da Paraíba, 2015.

BICALHO, M. F. Entre a teoria e a prática: dinâmicas político-administrativas em Portugal e na América portuguesa (séculos XVII e XVIII). Revista de História, São Paulo, Humanitas, n°167, jul-dez 2012, p. 75-98.

BOXER, C. R. A idade de ouro do Brasil: dores de crescimento de uma sociedade colonial. 3 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

CARDIM, P. e HESPANHA, A. M. A estrutura territorial das duas monarquias ibéricas (séculos XVI-XVIII). In: XAVIER, A. B; PALOMO, F.; e STUMPF, R. (Org.). Monarquias Ibéricas em Perspectiva Comparada (Sécs. XVI-XVIII). Dinâmicas Imperiais e Circulação de Modelos Administrativos. Lisboa: ICS – Imprensa de Ciências Sociais, 2018, p. 51-95.

COSENTINO, F. et al. Governadores reinóis e ultramarinos. In: MONTEIRO, N. G. e FRAGOSO, J. (Org.). Um reino e suas repúblicas no Atlântico: comunicações políticas entre Portugal, Brasil e Angola nos séculos XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017, p. 299-334.

CUNHA, M. S. e MONTEIRO, N. G. Governadores e capitães-mores do império atlântico português nos séculos XVII e XVIII. In: MONTEIRO, N. G.; CARDIM, P.; CUNHA, M. S. (Org.). Optima Pars. Elites ibero-americanas do Antigo Regime. Lisboa: ICS, 2005, p. 191-252.

CURVELO, A. A. S. C. Governar Pernambuco e as “capitanias anexas”: O Perfil de Recrutamento, a Comunicação Política e as Jurisdições dos Governadores da Capitania de Pernambuco (c.1654-c.1756). Tese (Programa Interuniversitário de Doutoramento em História). Universidade de Lisboa, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Évora), 2020.

HESPANHA, A. M. A constituição do Império português. Revisão de alguns enviesamentos correntes. In: FRAGOSO, J.; GOUVÊA, M. F. S; BICALHO, M. F. (Org). O antigo regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010a, p. 163-188.

HESPANHA, A. M. Antigo regime nos trópicos? Um debate sobre o modelo político do império colonial português. In: FRAGOSO, J. e GOUVÊA, M. F. S. (Org.). Na trama das redes: política e negócios no império português, séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010b, p. 43-93.

KELMER MATHIAS, C. L. No exercício de atividades comerciais, na busca da governabilidade: D. Pedro de Almeida e sua rede de potentados nas minas do ouro durante as duas primeiras décadas do século XVIII. In: FRAGOSO, J. L.; ALMEIDA, C. M. C.; e SAMPAIO, A. C. J. (Org.). Conquistadores e negociantes: histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos. América Lusa, séculos XVI a XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, p. 195-222.

LOPES, G. A. A Fênix e a conjuntura atlântica: açúcar e tráfico de escravos em Pernambuco na segunda metade do século XVII. Portuguese Studies Review, Peterborough (Canadá), v. 1, n. 20, p.1-35, 2012.

MACHADO, M. L. História da Província da Paraíba. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1977. v. 2.

MARTINS, F. A. O. Um herói esquecido (João da Maia da Gama). Lisboa: Agência Geral das Colônias, 1944. 2 v.

MAXWELL, K.. Marquês de Pombal: Paradoxo do Iluminismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

MELLO, E. C. A fronda dos mazombos: nobres contra mascates. Pernambuco, 1666-1715. São Paulo: Editora 34, 2003.

MENEZES, M. V. Colonialismo em ação: fiscalismo, economia e sociedade na Capitania da Paraíba (1647-1755). Tese (Doutorado em História Econômica). Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.

MENEZES, M. V. Jurisdição e Poder nas Capitanias do Norte (1654-1755). Saeculum, João Pessoa, jan/jun 2006, v. 14, p. 11-26, 2006.

MENEZES, M. V. Negros e indígenas na economia da Paraíba (1654-1755). In: ROCHA, S. P. e FONSECA, I. S. (Org). População Negra na Paraíba: educação, história e política. Campina Grande: EDUFCG, 2010. v. 1. p. 41-54.

NEVES, F. F. Genealogias de Famílias Nobres Aveirenses. Aveiro: Arquivo do Distrito de Aveiro, 1957.

NOVAIS, F. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). São Paulo: Hucitec, 1979.

OUDINOT, J. R. R. Q. Aveirenses notáveis. Aveiro: Câmara Municipal de Aveiro, 2000.

PALACIOS, G. Campesinato e escravidão no Brasil: agricultores livres e pobres na Capitania Geral de Pernambuco (1700-1817). Brasília: Editora UNB, 2004.

PRADO JR., C. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Brasiliense/Publifolha, 2000.

PUNTONI, P. O Governo-Geral e o Estado do Brasil: poderes intermédios e administração (1549-1720). In: SCHWARTZ, S. e MYRUP, E. L. (Org.). O Brasil no Império marítimo português. Bauru: Edusc, 2009, p. 39-73.

RUSSELL-WOOD, A. J. R. O Império Português, 1415-1808: O mundo em movimento. 2 ed. Lisboa: Clube do Autor, 2018.

SALGADO, G. (Org.). Fiscais e meirinhos: a administração no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

SANTOS, F. V. Governadores e capitães-generais do Estado do Maranhão e Grão-Pará e do Estado do Grão-Pará e Maranhão (1702 a 1780): trajetórias comparadas. Revista crítica histórica, v.8, p. 41-63, 2017.

SANTOS, F. V. O governo das conquistas do Norte: trajetórias administrativas no Estado do Grão-Pará e Maranhão (1751-1780). São Paulo: Annablume, 2011.

SCHWARTZ, S. B. Burocracia e Sociedade no Brasil colonial: o Tribunal Superior da Bahia e seus desembargadores, (1609-1751). São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SOUZA, L. M. O sol e a sombra. Política e administração na América Portuguesa do século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

VAINFAS, R. (Org.). Dicionário do Brasil Colonial (1500-1808). Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

VARNHAGEN, F. A. História Geral do Brasil. Antes da sua separação e independência de Portugal. 4 ed. Tomo III. São Paulo: Melhoramentos, 1951.

Downloads

Publicado

11-09-2021

Como Citar

CARNEIRO BEZERRA, I. A. Os caminhos de João da Maia da Gama: práticas governativas, guerra e comércio na administração da capitania da Paraíba (1708-1717) . Revista Ágora, [S. l.], v. 32, n. 2, p. e–2021320203, 2021. DOI: 10.47456/e-2021320203. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/35467. Acesso em: 9 dez. 2021.

Edição

Seção

Os Governos do Império: Vice-reis, governadores e capitães-mores no mundo portug