Crises econômicas no Brasil e as reformas/contrarreformas do Ensino Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i3.27092

Resumo

Este texto explicita a relação das crises da economia brasileira com as contrarreformas do Ensino Médio. Estabelece, em especial, uma relação possível com duas contrarreformas desse nível da escolarização, inscritas na Lei nº 9.394/2016 e Lei n. 13.415/2017, apontando para a tríplice educação-vida-trabalho promovido por elas. A crise econômica pela qual passou país em décadas anteriores e pela qual tem passado atualmente serviram como justificativas para a emergência das contrarreformas em questão, de modo que a escolarização tenha sido tratada como a solução possível para problemas que são históricos. O programa de cada uma delas impulsiona a constituição de subjetividades que importam ao modelo neoliberal de sociedade que potencialmente se apresenta e se materializa no conjunto de práticas governamentais e de governo da população, constituindo subjetividades alinhadas ao neoliberalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wesley Fernando de Andrade Hilário

Mestre em Educação pela Universidade federal da Grande Dourados (UFGD) e Graduado em Letras pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Rosemeire de Lourdes Monteiro Ziliani, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutora em Educação pela Uiversidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Downloads

Publicado

2019-12-29

Como Citar

Hilário, W. F. de A., & Ziliani, R. de L. M. (2019). Crises econômicas no Brasil e as reformas/contrarreformas do Ensino Médio . Argumentum, 11(3), 67-80. https://doi.org/10.18315/argumentum.v11i3.27092