A IMPORTÂNCIA DO TESTE DO OLHINHO PARA TRIAGEM DE DOENÇAS OCULARES NO PERÍODO NEONATAL: REVISÃO INTEGRATIVA

THE IMPORTANCE OF EYE TEST FOR SCREENING EYE DISEASES IN THE NEONATAL PERIOD: INTEGRATIVE REVIEW

Autores

  • Dulcy Dávyla Freire Nascimento FSM
  • Umberto Marinho de Lima Junior Faculdade Santa Maria, Cajazeiras
  • Macerlane de Lira Silva Faculdade Santa Maria, Cajazeiras
  • Ocilma Barros de Quental Faculdade Santa Maria, Cajazeiras

Palavras-chave:

Teste do Olhinho, Reflexo vermelho, Retinoblastoma

Resumo

Introdução: O sistema visual da criança se desenvolve potencialmente no primeiro ano de vida, por isso as investigações sobre a acuidade visual devem ser realizadas precocemente. Estima-se que no Brasil cerca de 140 mil crianças são cegas, entre essas 15 a 20% são decorrentes de causas evitáveis. Dentre as medidas para reduzir essas estatísticas está o Teste do Reflexo Vermelho (TRV), também conhecido como “Teste do Olhinho”, que consiste em um exame simples e rápido realizado no consultório pediátrico ou oftalmológico, em alguns estados o exame é realizado na maternidade. Objetivo: Descrever a importância do teste do olhinho na detecção precoce de doenças oculares neonatais e seu impacto no seguimento especializado dos casos. Método: Realizou-se uma revisão integrativa da literatura científica, com buscas por artigos publicados no período de 2007 a abril de 2020, nas bases de dados BVS (biblioteca virtual de saúde), SCIELO e PUBMED, utilizando os descritores: oftalmopatias, recém-nascido, teste do reflexo vermelho; com o auxílio do operador booleano “and”. Resultados: Foram encontrados 467 trabalhos que se enquadraram na temática, dentre esses, 35 foram excluídos por duplicidade nas bases de dados e 400 eliminados após critérios de inclusão, 32 artigos foram analisados minunciosamento e apenas 10 atenderem a todos os critérios de inclusão e exclusão do estudo. Conclusão: O estudo mostrou a importância do TRV e eficácia no diagnóstico de doenças como o retinoblastoma, conjuntivites, estrabismo, catarata congênita, retinopatias, uveítes, glaucoma, infecções, traumas de parto e cegueira

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aguiar, A. S. C. (2007). Aplicação do Teste do Reflexo Vermelho no Cuidado Neonatal. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. Fortaleza, 10(1), 1-165.

Aguiar. A. S. C. (2010). Validação de tecnologia para avaliação do teste do reflexo vermelho. Fortaleza. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará.

Aguiar. A. S. C., et al. (2011). Associação do reflexo vermelho em recém-nascidos com variáveis neonatais. Revista Latino-americana de Enfermagem: 19, 2.

Araujo, A. B. S. (2018). Protocolo para Teste do Reflexo Vermelho: utilização em consultas de crescimento e Desenvolvimento. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Caicó.

Brasil. (2014). Dia Mundial da Visão Alerta para a Prevenção da Cegueira no País. Recuperado: http://www.brasil.gov.br/saude/2012/10/dia-mundial-da-visao-alerta-para-a-prevencao-da-cegueira-no-pais

Brasil. (2017). Exames da Triagem Neonatal. Recuperado: http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-da-crianca/pre-natal-e-parto/exames-de-triagem-neonatal

Cardoso, M. V. L. M. L., Lúcio, I. M. L., & Aguiar, A. S. C. (2007). Teste do Reflexo Vermelho: Forma de Prevenção à Cegueira na Infância. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, 60(5), 541-5.

Cagliari, P. Z., et al., (2016). Alterações detectadas pelo teste do reflexo vermelho. Arquivos Catarinenses de Medicina. – Santa Catarina: 45, 3.

CBO, Conselho Brasileiro de Oftalmologia. (2017) Teste do Reflexo Vermelho tem Ampla Campanha Nacional de Divulgação. Recuperado: http://www.cbo.com.br/novo/medico/pdf/jo/ed134/2.pdf

Campos Júnior, J. C. (2010). Atendimento Oftalmológico dos Recém-nascidos Examinados nas Maternidades Públicas em Manaus. Revista Brasileira de Oftalmologia. 69, 4 pp: 222-5.

Celino, M. B. L. (2011). Nível de Conhecimento sobre o Teste do Olhinho. Campina Grande: Núcleo de Pesquisa e Extensão (Nupex).

Dorsch, F. L. B., et al., (2016). Alterações ao teste do reflexo vermelho em recém-nascidos internados na unidade de terapia intensiva de um hospital filantrópico em Vitória/ES, Brasil. Revista Bras. Pesq. Saúde – Vitória: 18, 3.

Detlinger, J. (2018). Teste do olhinho: entenda como funciona o primeiro exame oftalmológico do bebê. In: Pais & Filhos. Recuperado: https://paisefilhos.uol.com.br/bebe/teste-do-olhinho-entenda-como-funciona-o-primeiro-exame-oftalmologico-do-bebe/

Fecarotta, C. M. (2018). Catarata congênita. Recuperado: https://www.msdmanuals.com/pt/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-infantil/dist%C3%BArbios-oculares-nas-crian%C3%A7as/catarata-cong%C3%AAnita

Ledesma, F., et al., (2018). Teste do reflexo vermelho: quando deve ser aplicado e qual benefício oferece? Arquivos catarinenses de medicina. – Santa Catarina: 47, 2.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - Enferm. Florianópolis, 17, 4.

Rodrigues, E. C., et al. (2018). Resultado do teste reflexo vermelho em recém-nascidos. Revista de enfermagem. – Recife: 12, 2.

SBP, Sociedade Brasileira de Pediatria. (2015). Teste do olhinho e o Retinoblastoma. Departamento Científico de Oncohematologia. Recuperado: http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2015/02/teste-olhinho-retinoblastoma.pdf

SBOP, Sociedade Brasileira Oftalmológica de Pediatria. Teste do Olhinho. Recuperado: http://www.sbop.com.br/webforms/interna.aspx?campo=60

Silva, E. X., et al., (2017). Importância da triagem neonatal: revisão bibliográfica acerca do pape do enfermeiro no acompanhamento de crianças portadoras de fibrose cística em nível ambulatorial. Revista educação, meio ambiente e saúde. – Minas Gerais: 7, 3.

Soares, A. F. (2013). Avaliação da aplicação do teste do reflexo vermelho em neonatos nascidos no hospital da mulher “mãe Luzia” no estado do Amapá. Macapá. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal do Amapá.

Zanoni, C. A., et al., (2013). Realidade de aplicação do teste do reflexo vermelho em recém-nascidos em uma maternidade de Campo Grande – MS. Ensaios e Ciência. - São Paulo: 17, 3.

Publicado

2020-07-16

Como Citar

Freire Nascimento, D. D., Lima Junior, U. M. de ., Silva, M. de L. ., & Quental, O. B. de . (2020). A IMPORTÂNCIA DO TESTE DO OLHINHO PARA TRIAGEM DE DOENÇAS OCULARES NO PERÍODO NEONATAL: REVISÃO INTEGRATIVA: THE IMPORTANCE OF EYE TEST FOR SCREENING EYE DISEASES IN THE NEONATAL PERIOD: INTEGRATIVE REVIEW. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(6), 69–79. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/31062

Edição

Seção

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO NA SAÚDE - TECHNOLOGY AND INNOVATION IN HEALTH

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)