ÍNDICE DE POTENCIALIDADE SOCIOECONÔMICA E PRODUTIVA DA ATIVIDADE PESQUEIRA MARINHA E ESTUARINA NO ESTADO DE SÃO PAULO – IPSP: PESCA BAIXADA SANTISTA

INDEX OF SOCIOECONOMIC AND PRODUCTIVE POTENTIALITY OF THE SEA AND ESTUARINE FISHERIES ACTIVITY IN THE STATE OF SÃO PAULO - IPSP: PESADA BAIXA SANTISTA

Autores

  • Joyce da Silva Pereira Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.
  • Eliza Rocha Moreto Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.
  • Vanielle Aparecida do Patrocinio Gomes Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.
  • Rodrigo Randow de Freitas Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo Departamento de Engenharias e Tecnologia https://orcid.org/0000-0003-0170-6892

DOI:

https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.31950

Palavras-chave:

Atividade pesqueira, Pesca, São Paulo, Baixada Santista, AHP

Resumo

A atividade pesqueira tem crescido nas últimas décadas, sendo que, o estado de São Paulo possui apresenta um cenário promissor para o desenvolvimento de tal atividade. O estado apresenta 16 municípios na sua região costeira, se subdividindo em litoral norte, litoral sul e litoral central, conhecido também como Baixada Santista, que possui 9 cidades. Mesmo com a geração de empregos, renda e alimentos, são relatados pontos negativos, como a degradação do meio ambiente, sobre-exploração, redução dos estoques marinhos e estuarinos, e ainda a taxa de analfabetismo dos pescadores. Assim, o estudo pretende identificar as potencialidades e vulnerabilidades da atividade na região central do estado, comparando os munícipios costeiros. Para isso, utilizou-se o Método Analytic Hierarchy Process para hierarquizar tais localidades quanto seu potencial desenvolvimento e assim, realizar uma apreciação do ambiente com a utilização de uma matriz para análise de cenários. Os resultados indicaram que devido à importância dada ao subíndice produtivo, pelos especialistas entrevistados, o município de Guarujá sobressaiu-se e foi definido como o município da Baixada Santista com maior Índice de Potencialidade Socioeconômica e Produtiva na atividade pesqueira, por apresentar dados quantitativos relacionados a esse subíndice superiores aos demais municípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce da Silva Pereira, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Graduanda em Engenharia de Produção na Universidade Federal do Espírito Santo

Eliza Rocha Moreto, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Graduanda no curso de Engenharia de produção na instituição UFES, atualmente é Membro de corpo editorial da Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, voluntaria em um iniciação tecnologica da Fapes e monitora no laboratório de Núcleo de Pesquisa em Gestão de Sistemas de Produção

Vanielle Aparecida do Patrocinio Gomes, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Graduada em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES. Pós-Graduada em Direito Público com Ênfase em Gestão Pública com capacitação para Magistério Superior pela Faculdade Damásio na Unidade de Colatina-ES Mestranda em Energia pela Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES. Destaca-se produções textuais e atividades de pesquisa sobre Identificação e Caracterização de Potencialidade Social Econômica e Ambiental; Método de tomada de decisão com multicritérios - AHP; Atividade Pesqueira; Eficiência Energética e Energia Eólica.

Rodrigo Randow de Freitas, Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo Departamento de Engenharias e Tecnologia

Atualmente Professor Adjunto do curso de Engenharia de Produção em regime de dedicação exclusiva da Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES (2015). Doutor pelo programa de Pós-Graduação em Aquacultura pela Fundação Universidade Federal de Rio Grande (FURG) em 2011; Mestrado em Aquacultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006); Especialização em Educação e Gestão Ambiental (Faculdade Saberes - 2003); e Graduação em Administração de Empresas: ênfase em análise de sistemas (Faculdade de Ciências Humanas de Vitória - 2001). Experiência na área de Gestão Ambiental e Gerenciamento Costeiro, Gestão de processos e produtos, análise de cadeias produtivas e Planejamento Estratégico. Em especial para a área de Engenharia, destacam-se diversos artigos, resumos e projetos executados e em andamento.

Referências

Abdallah, P., & Bacha, C. (1999). Evolução da atividade pesqueira no brasil: 1960 - 1994. Revista Teoria E Evidência Econômica, 7(13). https://doi.org/10.5335/rtee.v7i13.4803

Agostinho, A. A., Gomes, L. C., & Pelicice, F. M. (2007). Ecologia e manejo de recursos pesqueiros em reservatórios do Brasil (5ª ed.). Maringá, PR, Brasil: Eduem.

Almeida, L. C. D (2016). Cadeias produtivas dos mercados pesqueiros: uma análise do mercado da pesca artesanal no município de Campos dos Goytacazes. Monografia (Especialização), Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil.

Brasil (2009). Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009. Dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca, regula as atividades pesqueiras, revoga a Lei no 7.679, de 23 de novembro de 1988, e dispositivos do Decreto-Lei no 221, de 28 de fevereiro de 1967, e dá outras providências. Brasília, 188º da Independência e 121º da República.

Brasil. (2019). Biodiversidade Aquática Zona Costeira e Marinha 2019. Ministério do Meio Ambiente. Recuperado de http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-aquatica/zona-costeira-emarinha

Costa, H. G. (2002). Introdução ao método de análise hierárquica: análise multicritério no auxílio à decisão. Niterói: H.G.C.

IBGE. (2019). Censo 2019. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Recuperado de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/sao-paulo/panorama

Evangelista-Barreto, N. S., Daltro, A. C. S., Silva, I. P., & de Sousa Bernardes, F. (2018). Indicadores socioeconômicos e percepção ambiental de pescadores em São Francisco do Conde, Bahia. Boletim do Instituto de Pesca, 40(3), 459-470.

FAO. (2020). The State of World Fisheries and Aquaculture 2020 (SOFIA). Recuperado de http://www.fao.org/3/ca9229en/online/ca9229en.html#chapter-1_1

Gazzaneo, B. P. B. (2008). Pré-seleção de ações para a Construção de Carteiras eficientes. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Administração), Faculdade IBMEC, Rio de Janeiro, Brasil.

Goldenstein, L. (1972). A industrialização da Baixada Santista. Estudo de um centro industrial satélite. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Gomes, V. A. do P. (2015). Índice de potencialidade socioeconômica e produtiva da pesca marinha e estuarina na região norte do espírito santo (ipsp-norte). Trabalho de Conclusão de Curso de graduação. Universidade Federal do Espírito Santo, São Mateus, ES, Brasil.

Gutberlet, J. (1996). Cubatão: desenvolvimento, exclusão social, degradação ambiental. Ed. da Universidade de São Paulo-EDUSP.

Kalikoski, D., Dias Neto, J., Ruffino, M. L., & Marrul Filho, S. (2008). Gestão compartilhada do uso sustentável de recursos pesqueiros: refletir para agir.

Lopes, F. C. (2004). O conflito entre a exploração offshore de petróleo e a atividade pesqueira artesanal. Monografia. Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Instituto de Economia, Rio de Janeiro, Brasil.

Lorenzoni, R. C., Alves, N. F. C., Gomes, V. A. P., Goncalves, W., & Freitas, R. R. (2021). Socioeconomic and productive marine and estuarine fishery activity potential index. Independent Journal of Management & Production (IJM&P), 12, 613-636.

Marins, C. S., Souza, D. D. O., & Barros, M. D. S. (2009). O uso do método de análise hierárquica (AHP) na tomada de decisões gerenciais–um estudo de caso. XLI SBPO, 1, 49.

Paganini, T. B., Julio, T. S., Gomes, V. A. P., & Freitas, R. R. (2017). Socio-economic, environmental and production index: marine and estuarine fishery potential towards a sustainable fishing. Latin American Journal Of Management For Sustainable Development, 3, 237-251.

Peixe BR. (2019). Anuário Brasileiro da Piscicultura 2019. Associação Brasileira da Piscicultura. Recuperado de https://www.peixebr.com.br/Anuario2019/AnuarioPeixeBR2019.pdf

Peixe BR. (2018). Anuário Brasileiro da Piscicultura 2018. Associação Brasileira da Piscicultura. Recuperado de https://www.peixebr.com.br/Anuario2018/AnuarioPeixeBR2018.pdf

Ranieri, C., Fernandes. L., Gouveia, M. T. J., & Rocha, V. (2016). Manual de ecossistemas: marinhos e costeiros para educadores. Santos: Comunnicar.

Rodrigues, J. A., & Giudice, D. S. (2011). A pesca marítima artesanal como principal atividade socioeconômica: o caso de conceição de vera cruz, BA. Cadernos do Logepa, 6(2), 115-139.

Ruy, M., & De Paula, V. M. F. (2012). Ferramenta Computacional de Apoio ao Ensino do Método de Análise Hierárquica em Cursos de Graduação em Engenharia de Produção. XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção.

Saaty, T. L. (1980). The Analytic Hierarchy Process and Health Care Problems. New York: McGraw-Hill.

Saaty, T. L. (1990). How to make a decision: The analytic hierarchy process. European Journal of Operational Research, Amsterdam, 48, 9-26.

Saaty, T. L. (1991). Método de Análise Hierárquica. McGraw-Hill, Makron Books, São Paulo, SP, Brasil. 367p.

Saaty, T.L. (2000). Decision making for leaders. Pitts burg, USA: WS. Publications.

São Paulo. (2017). Litoral de SP: mais de 600 km de extensão banhados pelo Atlântico. Portal do estado. Recuperado de http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/litoral-de-sp-mais-de-600- km-de-extensao-banhados-pelo-atlantico/

São Paulo. (2007). Secretária de Turismo de São Paulo. Recuperado de http://www.spturismo. com/mapas/baixada-santista.html

Silva, A. A., Silva, N. S. D., Barbosa, V. D. A., Henrique, M. R., & Baptista, J. A. (2011). A utilização da matriz Swot como ferramenta estratégica–um estudo de caso em uma escola de idioma de São Paulo. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 8, 1-11.

Steyvers, M. (2006). Multidimensional scaling. Encyclopedia of cognitive science.

Trevizano, W. A., & Freitas, A. L. P. (2005). Emprego do Método da Análise Hierárquica (AHP) na seleção de Processadores. XXV Encontro Nac. de Engenharia de Produção–Porto Alegre.

Viegas, M. D. C., Moniz, A. B., & Santos, P. T. (2014). Artisanal fishermen contribution for the integrated and sustainable coastal management-application of strategic SWOT analysis. In 3rd International Geography Symposium (GEOMED 2013). Elsevier Science Bv.

Wernke, R., & Bornia, A. C. (2001). A contabilidade gerencial e os métodos multicriteriais. Revista Contabilidade & Finanças, 12(25), 60-71.

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Pereira, J. da S., Moreto, E. R., Gomes, V. A. do P., & Freitas, R. R. de. (2021). ÍNDICE DE POTENCIALIDADE SOCIOECONÔMICA E PRODUTIVA DA ATIVIDADE PESQUEIRA MARINHA E ESTUARINA NO ESTADO DE SÃO PAULO – IPSP: PESCA BAIXADA SANTISTA: INDEX OF SOCIOECONOMIC AND PRODUCTIVE POTENTIALITY OF THE SEA AND ESTUARINE FISHERIES ACTIVITY IN THE STATE OF SÃO PAULO - IPSP: PESADA BAIXA SANTISTA. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(8), 97–111. https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.31950

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 > >>